Edição do dia 20/02/2020

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Um dia de diversão
GERAL - O Riovale Jornal em parceria com o Acqua Lokos sorteou ingressos para o parque aquático, confira os ganhadores:
Sambista Jorjão morre em Santa Cruz
GERAL - Jorge foi um apaixonado pelo carnaval da cidade e faleceu em decorrência de um mau súbito, na última terça-feira, 18
Brigada Militar garante segurança no 2º Bailinho da Borges
POLÍCIA
Dada a largada para a pintura do Palacinho
GERAL
Assembleias de Núcleo mostram a importância do cooperativismo para as comunidades
ESPORTES
Direção do Avenida muda horário do amistoso contra o Passo Fundo
ESPORTES - A partida marcada para sábado será realizada às 15 horas
Governo do Estado propõe reajuste do piso regional
ECONOMIA
Comitê elabora Plano de Contingência de combate à dengue
SAÚDE
Unisc abre inscrições para o Uniama
GERAL
Assemp abre edital para pontos de alimentação na 36ª Oktoberfest
GERAL
Consultório de Rua realizou 349 abordagens em oito meses
SAÚDE
Chimarródromos oferecem água quente e gelada
GERAL
Serviços da Prefeitura serão alterados no Carnaval
GERAL
Rapidinho não terá operação no feriado de Carnaval
GERAL
Os paradoxos nos protestos de 2013/2014
EDITORIAL
No Dia Mundial da Religião, precisamos educar para a paz
OPINIÃO
Projeto esquecer livros
OPINIÃO
Sábado
OPINIÃO

A Clarissa do Erico Verissimo

A Leitura que Habito - Luana Ciecelski - 19/02/2019

Faz algum tempo que não trago aqui alguma sugestão de leitura relacionada à literatura gaúcha. Pensando nisso, na coluna de hoje quero falar pra vocês a respeito do livro Clarissa, do Erico Verissimo. Eu reli recentemente essa história para o Clube de Leitura Gramatti + A Leitura que Habito. Aliás, eu e a Angelita Borges, da Gramatti, fizemos um vídeo sobre essa história no fim do mês de janeiro e compartilhamos no Youtube e nas nossa redes sociais, é bem fácil de conferir. Mas, pra quem não conhece esse livro, pensei em deixar a sugestão por aqui também. 
Bom, esse é um romance bem curtinho, com cerca de 170 páginas, o que o torna fácil de ler. Mas ele também tem uma escrita muito gostosa e um enredo que nos prende a atenção. O livro conta a história de uma menina chamada Clarissa, nome que dá título ao livro. Ela tem 13 anos no início da história e uma das questões mais marcantes desse livro, é justamente a passagem de sua vida da infância para a adolescência. 
Ela vive com a tia em uma cidade - não é citado o nome dessa localidade, mas sabe-se que é maior do que o local onde Clarissa nasceu e cresceu - porque seus pais a enviaram para estudar. Ela mora na pensão dessa tia e, ao longo de toda a história, Clarissa convive com os outros pensionistas que também vivem ali. A história se passa praticamente toda dentro da casa e do pátio dessa residência, exceto nos trechos em que Clarissa vai à missa ou à escola e caminha pelas ruas. 
O acompanhamos dentro dessas cento e poucas páginas, são alguns meses da vida dessa menina-moça e seu desenvolvimento como personagem. Acompanhamos sua inocência diante dos acontecimentos, mas também um pouco da perda dessa inocência. Seu amadurecimento. Seu contato com a morte e com as diferenças sociais e seus pensamentos em relação a isso. E eu, particularmente, fiquei com aquela sensação de que a vida passa tão depressa. As coisas vêm e vão e a gente nem percebe às vezes. 
É um livro, portanto, cheio de pequenas porções de delicadeza, como seriam todos os próximos escritos de Erico Verissimo. Ah, sim, porque esse foi seu primeiro romance publicado, ainda no ano de 1933. E por tudo isso, essa é uma leitura que vale muito a pena e eu deixo aqui a sugestão. Mas se antes de ler tu quiser saber um pouco mais sobre esse livro, acessa as redes sociais do A Leitura que Habito e da Gramatti Produções Literárias e confere o nosso vídeo, certo? Lá a gente traz até umas curiosidades bem legais a respeito dessa história. Até mais!

Crédito: Divulgação/RJ