Edição do dia 19/11/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Projeto Carinhoso: atração cultural beneficiará a terceira idade
GERAL - Artistas locais levarão arte para casas geriátricas a partir do mês que vem
Samu: Regulação compartilhada deve entrar em operação até o fim do ano
SAÚDE
Campanhas estimulam a Solidariedade
GERAL
Escritora santa-cruzense lança o livro Melodia Perversa
VARIEDADES
Lifasc: Soberania dos visitantes domina
ESPORTES
Municipal Feminino: Muitos gols marcam a rodada
ESPORTES
Santa Cruz luta, mas perde nos pênaltis para o Soledade
ESPORTES
Regional 2019:Trombudo sai na frente nas semifinais
ESPORTES - Nos Aspirantes deu o Formosa contra o Unidos
Amigos do Cinema exibe Tarkovski
VARIEDADES
Associação Pró-Cultura: Vernissage abre última mostra
VARIEDADES
NOVEMBRO ROXO: Exposição dá início às atividades
SAÚDE - Hospital Santa Cruz preparou também palestra e oficina sobre o mês da Prematuridade
Cisvale debate temas expressivos para a região
GERAL
Portal Lunetas e Mercur promovem bate-papo sobre Infâncias
GERAL
Confraria Nativista: Nova diretoria será empossada
GERAL
Comissão Especial da OAB promove eventos para abordar a Reforma da Previdência
GERAL
Vacinação contra o Sarampo: Nova fase começou nesta segunda
SAÚDE
Santa Cruz tem oito escolas paralisadas
EDUCAÇÃO - Em outros sete educandários o atendimento é parcial e em quatro as atividades seguem normalmente
Noite de comemorar o fim do 34º Enart
VARIEDADES - CTG porto-alegrense e Candeeiro de Vera Cruz levaram os principais prêmios

A importância dos avós - 1

Osvino Toillier - 29/03/2019

Os avós são as figuras poéticas do universo familiar. Cada um de nós se lembra deles com afeto, carinho e saudade. Eles são presenças marcantes em nossas vidas, embora muitos talvez não tenham tido o privilégio de conhecê-los e conviver com eles. Eu não conheci o meu bisavô paterno, mas convivi intensamente com os avós do lado materno, porque eram vizinhos, e a avó paterna era também figura muito doce.
Tive o privilégio de os meus pais estimularem muito o convívio com os avós, a ponto de minha mãe dizer que, em determinado fim de semana, deveria visitar a avó que morava distante.      
Uma das lembranças mais marcantes do avô materno foi o cavalo que ganhei de presente dele. Era o animal com a primazia do pasto lá em casa. Foi presente do meu vovô. Pena que ele foi tão cedo embora, vítima de doença grave. Foi no dia 28 de outubro de 1957, exatamente no mesmo dia em que nasceria nosso primogênito. Coincidências incríveis!
Em nosso tempo, os avós eram pessoas idosas, a quem a gente se referia com reverência, pela idade provecta. Hoje se alcançar esta idade muito mais cedo.
Mas eu queria falar do fato de sermos avós e do privilégio de poder conviver com netos e netas e, especialmente, da assimilação desta condição. De repente, nossos filhos nos deixam de chamar de pai e mãe e nos chamam de vovô e vovó. Confesso que isto mexeu comigo. Temos de assimilar uma nova cultura, ter criança pequena cuja educação não é mais de nossa responsabilidade, mas não dá para ficar indiferente diante de atitudes que conflitam com nossas convicções e entendimentos.
Aí começa uma aprendizagem em que a gente faz parte de um processo educacional, mas não é mais protagonista.