Edição do dia 14/06/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Prefeito Telmo Kirst anuncia saída do PP
POLÍTICA
Jaqueline na maior liga do atletismo mundial
ESPORTES - Atleta da AMO participou da Diamond League em Rabat, Marrocos
Maurício Scota conquista 4 ouros nos JUGS
ESPORTES - Nadador está classificado para os Jogos Universitários Brasileiros
Mauá traz três primeiros lugares da primeira etapa do Estadual de Ginástica Rítmica
ESPORTES - Alice Silva, Júlia Furtado e Rafaela Cavalheiro conquistaram títulos nas suas categorias
Câmara aprova criação de comissão processante e escolhe membros
GERAL
Computação na Educação lança material didático nesta terça-feira na Unisc
EDUCAÇÃO
OAB promove palestra: Vamos conversar sobre o racismo?
GERAL
Unidos da Villa e Esmeralda fazem o jogo dos líderes do grupo B
ESPORTES - No domingo, Copa Cidade Miller Supermercados teve vitórias do San Lorenzo e Margarida
Lifasc Sub-18: João Alves se isola ainda mais na liderança
ESPORTES - Equipe derrotou o Aliança por 2x0 neste domingo e mantém-se invicto
DESENVOLVIMENTO REGIONAL: Corede/VRP faz renovação da Assembleia
GERAL - Encontro para a definição dos novos integrantes ocorre no dia 25 de junho, na sala 101 da Unisc
Cursos de Gastronomia e Nutrição da Unisc promovem prática culinária com alunos do Uniama
GERAL
APAE promove Feijoada
GERAL
Educar-se promove novo encontro para famílias
EDUCAÇÃO
Mais de 1,1 mil candidatos realizam o Vestibular de Inverno da Unisc
GERAL
Com dois jogadores a menos, Avenida arranca empate em Caxias
ESPORTES - Periquito decidirá mata-mata dentro dos Eucaliptos
Santa Cruz empata e está fora da Segundona
ESPORTES - Galo ficou no 0 a 0 com o Guarany, em Bagé
Endurance Brasil: Xandy e Xandinho Negrão continuam líderes
ESPORTES - Pai e filho fecham a terceira etapa de Santa Cruz do Sul com pódio e mantêm a liderança na geral e na categoria GT3
Pinheiral leva o bicampeonato no Futebol Sete Master da Lifasc
ESPORTES - Equipe derrotou o Linha Santa Cruz na decisão, por 4x3 de virada, em partida eletrizante

Um saudosismo perverso

Olhar Parcial - Edison Rabuske - 29/03/2019

Nesta semana todos os brasileiros que acreditam no Estado Democrático de Direito ficaram estarrecidos com a orientação do presidente Bolsonaro no sentido de determinar festejos pela passagem do golpe de 64. E vamos deixar muito claro, não há esta história do “movimento” como sugeriu vergonhosamente o ministro Tofolli dias atrás. Tal atitude demonstra de forma inequívoca que o maior chefe da nação, mesmo passado meio século do mais violento e sanguinário ataque de órgãos estatais contra cidadãos brasileiros, não tem nenhum apreço pelo regime democrático. 
Quanto a tal forma de perceber o mundo, nenhuma dúvida persistia em relação ao capitão Bolsonaro, pois antes de ser elevado a presidente da nação reverberava aos quatro ventos ser admirador do torturador Carlos Alberto Brilhante Ustra. Mas agora é diferente, com um mandato auferido pelo voto democrático, é vedado, ou ao menos deveria ser, ao presidente da República, manifestar-se, e, pior, determinar festejos para uma data que fere os sentimentos de todos os brasileiros que tomaram conhecimento dos atos desumanos e cruéis cometidos nos porões da ditadura.
No ano passado o Serviço de Inteligência Americana, após 40 anos, confirmou a suspeita que muitos brasileiros tinham, que houve de fato os assassinatos, torturas e desaparecimento de pessoas durante o regime militar, ordenadas pelos generais Geisel e Figueiredo, então presidentes da República.
É um absurdo, que somente agora os brasileiros tomem conhecimento documental das práticas genocidas do período militar, e o pior, que a Lei da Anistia tenha perdoado todos os crimes cometidos pelos agentes do Estado. E o mais chocante, é que os Estados Unidos tenham arquivos detalhados do período, enquanto aqui no Brasil muitos documentos foram destruídos nos quartéis antes da redemocratização.  
Neste contexto, o que dá certo alento neste momento de total paranoia presidencial, é que instituições como OAB, MPF, Defensoria Pública dentre outras entidades de classe manifestam-se de forma contundente contra atitude desvairada do presidente. O alerta das entidades citadas é no sentido de que o Estado Democrático de Direito foi conquistado a duras penas pela sociedade brasileira, e que tem no texto constitucional sua bússola, não cabendo ao Chefe Supremo da Nação determinar festejos de um período que jamais deveria ter existido.