Edição do dia 19/11/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Nota da Prefeitura esclarece atendimentos na saúde feitos por sindicatos
SAÚDE - Ajustes que foram estabelecidos em comum acordo são apresentados
Projeto Carinhoso: atração cultural beneficiará a terceira idade
GERAL - Artistas locais levarão arte para casas geriátricas a partir do mês que vem
Samu: Regulação compartilhada deve entrar em operação até o fim do ano
SAÚDE
Campanhas estimulam a Solidariedade
GERAL
Escritora santa-cruzense lança o livro Melodia Perversa
VARIEDADES
Lifasc: Soberania dos visitantes domina
ESPORTES
Municipal Feminino: Muitos gols marcam a rodada
ESPORTES
Santa Cruz luta, mas perde nos pênaltis para o Soledade
ESPORTES
Regional 2019:Trombudo sai na frente nas semifinais
ESPORTES - Nos Aspirantes deu o Formosa contra o Unidos
Amigos do Cinema exibe Tarkovski
VARIEDADES
Associação Pró-Cultura: Vernissage abre última mostra
VARIEDADES
NOVEMBRO ROXO: Exposição dá início às atividades
SAÚDE - Hospital Santa Cruz preparou também palestra e oficina sobre o mês da Prematuridade
Cisvale debate temas expressivos para a região
GERAL
Portal Lunetas e Mercur promovem bate-papo sobre Infâncias
GERAL
Confraria Nativista: Nova diretoria será empossada
GERAL
Comissão Especial da OAB promove eventos para abordar a Reforma da Previdência
GERAL
Vacinação contra o Sarampo: Nova fase começou nesta segunda
SAÚDE
Santa Cruz tem oito escolas paralisadas
EDUCAÇÃO - Em outros sete educandários o atendimento é parcial e em quatro as atividades seguem normalmente

A crise econômica de sempre

Olhar Parcial - Edison Rabuske - 24/05/2019

Todas as notícias dão conta de que o País vive uma crise sem precedentes. O Ministro da economia em todas suas manifestações, deixa evidente de que não há outra alternativa para salvar o País, senão a reforma da previdência, que segundo sua versão irá salvar a economia do abismo que se avizinha. Alguns economistas também opinam que é a pior crise econômica que o País já atravessou, inclusive pior de que a crise de 1930 e 1931, quando também houveram duas quedas sucessivas no PIB nacional. 
Com todo respeito aos economistas que manifestam tal entendimento, pois o mesmo é no mínimo equivocado, para não dizer que mal-intencionado. 
O Brasil da década de 20 e 30 de século passado em momento algum pode ser comparado com o que o Brasil representa atualmente no cenário internacional. Na crise de 29 que atingiu o mundo, com a quebra do bolsa de valores de Nova York, e por consequência dos países periféricos como Brasil, com sua economia baseada na produção de café e extrativismo, sendo que a indústria nacional sequer existia. 
É evidente que o discurso de alarmismo tem objetivos muito claros, principalmente quando um governo não tem projeto de futuro, senão entregar as riquezas naturais para o mercado internacional. Quando, a principal pauta do governo é armar seus cidadãos, e para tanto, faz remendos legislativos que não se sustentam nem por um dia, resta evidente o total despreparo para lidar com temas como relações internacionais e política econômica macro, que vise valorizar a produção nacional.
Somente para citar, o setor primário evoluiu de forma muito evidente, sendo que a safra deste ano será a maior de todas da história. A indústria automobilística e de máquinas, a construção civil são atualmente capacidades instaladas que não existiam nas crises anteriores. 
Desta forma, acredito que a crise hoje vivenciada nem de longe tem similitude com as crises acima referidas, sendo que o nascedouro da dificuldade atual encontra sua explicação mais na política do que na economia, razão pela qual a recuperação também depende de uma estabilidade política, o que parece que não será fácil de ser construída, pois os primeiros cinco meses de governo nos dão mostras nada promissoras.