Edição do dia 18/10/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Os últimos dias da 35ª Oktoberfest
VARIEDADES - Confira o que aconteceu nesta semana e o que vai movimentar o fechamento da festa
1ª Semana Lixo Zero: Tudo pronto na programação
GERAL - Objetivo é incluir o município na lista de cidades com o título Lixo Zero, concedida pelo ILZ
Menos barulho nas comemorações de fim de ano
GERAL - Assembleia Legislativa aprovou dois projetos referentes ao uso de fogos de artifício
Evento apresenta o que há de melhor em arquitetura
GERAL - Os ambientes foram decorados por profissionais renomados
Equipe do Colégio Mauá se destaca no Nacional
GERAL
Novo Cabrais: Novas soberanas serão conhecidas nesta sexta
VARIEDADES
Novo Cabrais: Uma história que se constrói a cada dia
GERAL - Município comemora 23 anos de emancipação político-administrativa com desenvolvimento e progresso
Novo Cabrais: Saúde realiza atividade de prevenção
SAÚDE
Novo Cabrais: Feira de Saúde terá palestras sobre depressão e suicídio
SAÚDE - Evento tratará tema que vem em crescente demanda no município e na região e também oferecerá serviços gratuitos
Empregar RS disponibilizará 50 vagas
GERAL
Marcel Knak é o novo coordenador
GERAL - Ele será responsável por atender 23 municípios da região
Fios de Esperança: um ato de amor
GERAL - Projeto voluntário promove a autoestima e melhora a qualidade de vida de pacientes com câncer
Dia do médico: Celebre o profissional que cuida da sua saúde
ESPECIAIS
Dia do pintor: Eles dão mais cor ao nosso mundo
ESPECIAIS
Farsul em Campo: Seminário teve um dia repleto de atividades
GERAL - Evento contou com a participação de aproximadamente 150 pessoas
Pompéia de cara nova
EMPRESARIAL - A loja ampliou o espaço e o mix de produtos
Influencers Live Show: Gravações iniciam na próxima semana
GERAL - O programa vai ao ar a partir do dia 2 de novembro
Entrega de recursos ocorre na próxima terça-feira
GERAL

Aduladores e o poder

Olhar Parcial - Edison Rabuske - 27/07/2019

“As pessoas se comprazem tanto nas coisas que dizem a elas próprias, e se deixam enganar tão facilmente sobre si, que é difícil querer se libertar da bajulação”. (JACOB PETRY – PODER & MANIPULAÇÃO).
Nicolau Maquiavel, no livro “O príncipe”, publicado em 1532, dedicou um capítulo inteiro (XXIII) para orientar como um governante deve “evitar os aduladores”. Na obra Maquiavel afirma que “os homens apreciam tanto a si mesmos e aos seus atos, que acabam se iludindo a tal ponto que os bajuladores passam a fazer parte de sua vida.” O Filósofo italiano talvez tenha sido o intérprete mais competente sobre os efeitos do poder sobre os governantes, em especial, no que diz respeito sobre as armadilhas inebriantes que o ego arma aos líderes incautos.
Em todos os governos sempre irão estar imiscuídos no poder os bajuladores de plantão. Aliás, tais pessoas são indivíduos de personalidade complexa, e mais do que os governantes, merecem ser observados com muita acuidade, eis que, supostamente despidos de personalidade, adequam-se rapidamente aos novos governantes de plantão, e sem qualquer rubor, em pouco tempo, com “talento” incomum, acabam galgando espaços e cargos dentro das instituições, superando muitas vezes pessoas dedicadas e coerentes, mas que não tem a flexibilidade moral que todo bajulador profissional construiu no decorrer de sua vida. Quem de nós não conhece alguém que se enquadre neste perfil, certamente lendo o presente texto, algum bajular já tenha surgido em sua mente. Diga-se, que tal espécime habita todos os espaços de poder, sejam públicos ou privados. Sempre tem um ‘puxa saco’ de plantão.
Mas, talvez o governo Bolsonaro seja o habitat mais adequado para que todo o tipo de bajulador se apresente no palco do poder. Pelo que se observa, o bajulador “mor” atualmente é o Ministro Sérgio Moro, que quando não tem nada melhor para fazer, presta homenagens para Olavo de Carvalho.
Em um jantar oferecido na residência do embaixador brasileiro em Washington, Sérgio Amaral, Moro verbalizou a seguinte pérola em relação ao guru astrólogo Olavo de Carvalho e a Bolsonaro:
Disse que era uma honra conhecer alguém que inspirou tanta gente, incluindo “o chefe”, referindo-se ao presidente Bolsonaro. O ministro ainda mencionou que havia gostado muito do livro O jardim das aflições, mas confessou que o achara “muito denso”. 
É bem verdade que Moro, como um bom bajulador, sabe onde quer chegar, e isto não é segredo para ninguém no País, e certamente os doze meses que o separam da cadeira do Supremo será um longo período de novas demonstrações de admiração ao seu “chefe”, mesmo que isto signifique nada fazer na pasta da Justiça, onde deveria estar formulando políticas públicas que respondam de forma eficiente problemas do tráfico de drogas e armas, o poder das facções nos presídios, as milícias cada vez mais atuantes nos grandes centros urbanos, o controle eficaz dos portos e divisas do País dentre tantas outras demandas.  Mas não, tanto bajulador e bajulado estão em plena sintonia.