Edição do dia 15/10/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Calendário de Eventos 2020
GERAL
35ª Oktoberfest: Shows tradicionalistas são atração desta quarta-feira
GERAL - Festa da Alegria terá apresentações do Grupo Fandangaço, às 20h, e Os Serranos, às 22h30, no Lonão
Festa da Alegria recebe 20 mil pessoas no Dia da Maturidade Ativa
GERAL - Mais de 40 grupos e excursões de todo o Estado estiveram na 35ª Oktoberfest nesta terça-feira, 15 de outubro
Dia do Professor: educação para a erradicação do trabalho infantil
GERAL - Conheça a história de dois profissionais que estão na linha de frente do programa ARISE, iniciativa que muda a realidade de crianças e adolescentes
Praça da Cultura levará o nome de José Paulo Rauber Filho
GERAL - Inauguração do local ocorreu no sábado, 12 e contou com a presença da família do homenageado
Terça-feira será de ponto facultativo nas escolas
GERAL - Além das escolas municipais e estaduais, algumas particulares também não terão aula neste dia
Dia do Eletricista é nesta quinta-feira
GERAL - Data marca a importância do profissional habilitado
Inscrições abertas para a Escola de Educação Infantil
GERAL - Há vagas gratuitas e pagas para crianças de 4 e 5 anos
Rodrigo Solda é o novo presidente
GERAL - Além dele, outros prefeitos foram empossados para a diretoria e conselho fiscal do biênio 2020/2021
Evento discute problemas do contrabando e a pirataria
GERAL - Palestra apresentou dados sobre as ameaças do mercado ilegal para a economia
Sicredi Vale do Rio Pardo enaltece o cooperativismo durante o desfile da 35ª Oktoberfest
GERAL
Quase 17 milhões já foram emprestados pelo município
GERAL
Primeiros dias de Oktoberfest superam 54,6 mil pessoas pagantes
GERAL - Semana segue repleta de atrações
Fala, professor!
EDUCAÇÃO - Especial Dia do Professor
Histórico da data
EDUCAÇÃO - Especial Dia do Professor
O profissional que dedica a sua vida a ensinar
EDUCAÇÃO - Especial Dia do Professor
O big bang é o Operacional Divino
OPINIÃO
Permitir não é obrigar
OPINIÃO

Revolução Farroupilha

Olhar Parcial - Edison Rabuske - 13/09/2019

“Que sirvam nossas façanhas de modelo...”

O contexto histórico em que eclodiu a Revolução Farroupilha era de enorme turbulência no Império, eis que estava sob regência em razão do retorno forçado de D. Pedro I para Portugal, deixando o trono vago, eis seu filho, uma criança que não tinha condição de assumir do comando da nação, destroçado pela enormidade guerras com vizinhos e revoltas regionais que aspiravam uma maior participação na construção da nova Pátria que havia sido emancipada em 1822.
Neste cenário, dentre outras revoltas, cito aqui as duas revoltas que considero de maior importância, e que foram o prelúdio da Revolução Farroupilha, da Conjuração Mineira, que teve Tiradentes, como mártir, e a Revolução do em Pernambuco, que teve entre os esquartejados Frei Caneca. Aliás, o modo de repelir as revoltas era sempre com extrema violência pelo Império, que além matar, esquartejavam os revoltosos e pendularam seus restos mortais em praça pública, com a clara intenção de impor através da violência e da crueldade o medo nos demais cidadãos.
Em comum estes levantes, além de questões paroquias, tinham em mente a palavra Liberdade, termo que se tornou mais real com a independência do Estados Unidos e logo após na Revolução Francesa. Os ventos de liberdade, fraternidade e igualdade, consolidados na Revolução Francesa atingiram o mundo, o que não foi diferente com o Brasil.  Tanto no período Colonial como Império e na República o poder sempre esteve muito centralizado no Rei ou no Presidente da República, tanto que revolução de 1893, novamente colocou em xeque tal centralização, o que é assunto para outro texto.
A Revolução Farroupilha, ao contrário da Mineira e da Pernambucana, não foi resolvida de forma simplista como as anteriores, onde o Império com seu poder bélico destruía os revoltosos. Aqui nos campos do Rio Grande, as tropas imperiais tiveram enorme dificuldade de combate aos revoltosos, tanto pela extensão territorial em que os revolucionários se espraiavam, tanto pela técnica e tática de guerra que foi adotada pelo exército de Bento Gonçalves e tantos outros importantes líderes da revolução. A revolução durou longos 10 anos, onde até hoje várias vezes surge a pergunta, os gaúchos comemoram uma revolução que perderam ou ganharam?
Tenho para mim que tal questão é irrelevante, pois na guerra com certeza todos perdem, mas a Revolução Farroupilha, mesmo que muitas vezes exageradamente idealizada por nós gaúchos, deixou um legado que passados mais de 150 anos, ainda e capaz de mobilizar multidões durante o mês de setembro, seja para cantar o Hino, mobilizar professores e alunos a discutir a história da revolução,  discutir polêmicas com a batalha de Porongos, dançar e cantar músicas tradicionais, declamar versos de amor a terra onde nasceu. Em suma cultivar um passado que mesmo em parte fantasiado, deixou em nossa Bandeira a mensagem da Liberdade, Igualdade e Humanidade.