Edição do dia 20/10/2017

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Empate elimina Galinho do Estadual Juvenil
ESPORTES - Santa Cruz ficou no 1 a 1 em jogo polêmico nos Plátanos
Empregar RS acontece no próximo dia 27
GERAL
Unisc TV passa a exibir programação pela internet
GERAL
Educar-se realiza Noite Cultural
VARIEDADES
Abre edital para cadastramento de peritos médicos
GERAL
Serviço de odontologia no município completa 30 anos
GERAL - Em comemoração, programação especial será realizada na próxima quarta-feira
Souza Cruz abre processos de seleção para 30 vagas de estágio
GERAL - Candidatos devem ter previsão de formatura entre janeiro de 2020 e janeiro de 2021
Agentes da vigilância visitarão residências para avaliar focos de Aedes Aegypti
GERAL - As larvas coletadas no Levantamento de Índice Rápido (Lira) serão analisadas no laboratório da 13ª Coordenadoria Regional de Saúde
Heitor Petry assume a vice-presidência do Fórum dos Coredes RS
GERAL
Unisc figura entre as 150 melhores empresas para se trabalhar
GERAL - Essa é a 10ª vez consecutiva que a universidade aparece na lista divulgada pela revista Você S/A e pela Fundação Instituto de Administração (FIA)
Agentes visitarão residências para avaliar focos de Aedes Aegypti
SAÚDE - Todos os 38 bairros da cidade serão avaliados simultaneamente
FC SANTA CRUZ: Jantar em apoio à base é neste sábado
ESPORTES - Festa ocorre no mesmo dia em que equipe Juvenil decide vaga nas quartas do Gauchão
SRFis Unisc e Acadef fazem entrega de órteses e próteses
GERAL - Encontro ocorreu nas dependências da Unisc a pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), vindos de vários municípios
Hospital Santa Cruz participa de encontro da Rede Cegonha
GERAL
Unimed VTRP é uma das melhores empresas para trabalhar
GERAL - Levantamento do ranking da Revista Você S/A foi divulgado na noite dessa terça-feira
Lifasc: Copa MD Pneus tem oito partidas pelas quartas-de-final
ESPORTES - Bola rola em uma fase decisiva da Copa Valdino Brutscher
Dois jogos abrem as quartas do Regional neste sábado
ESPORTES - Campeonato dá início a sua fase quente e decisiva
Evento mundial sobre tabaco acontece na próxima semana
GERAL - Delegações de 22 países participam em Santa Cruz do Sul do evento que não é aberto à comunidade

Energias podem afetar ambientes

Locais deixam pessoas doentes por fatores ambientais que muitas vezes podem ser evitados

GERAL - 19/05/2017

Viviane Scherer Fetzer
viviane@riovalejornal.com.br

O geobiólogo e consultor ambiental, Isnar Amaral, palestrou na tarde de ontem na Liga Feminina de Combate ao Câncer sobre “Ambientes que adoecem”. Baseado em centenas de análises realizadas em ambientes residenciais e comerciais, Amaral observou alguns problemas comuns que sempre se repetem. Além da falta de harmonia e entendimento entre moradores ou colegas de trabalho, afirmou a existência de muitas doenças e distúrbios, a exemplo de depressão, câncer, infecções diversas, problemas cardíacos, artrite reumatoide, insônia, cansaço excessivo, entre outros, que, segundo ele, estão correlacionados com o ambiente.

O especialista salientou que existem diversos fatores ambientais que determinam a salubridade do ambiente. Informou que, segundo a Organização Mundial da Saúde, 25% das doenças registradas em todo o mundo são causadas por fatores ambientais evitáveis responsáveis por 13 milhões de mortes todo o ano. Confira a entrevista exclusiva para o Riovale Jornal.

Isnar Amaral: Isnar Amaral: Crédito: Luana Ciecelski

‘Riovale Jornal’ - De onde surgiu a ideia de fazer análise dos ambientes para avaliar a qualidade da energia? 

Isnar Amaral - É uma técnica milenar que vem dos índios que observavam os animais. Por exemplo, onde o cavalo gosta de dormir é um local que não tem problema de emissão telúrica, emissão que vem do solo e ali eles tinham condições de fazer suas tendas (casas). Foram surgindo outras técnicas também como o feng-shui, que é uma técnica milenar observada pelos chineses. E atualmente isso foi aprimorado através de estudos, eu mesmo desenvolvi várias técnicas a partir da eletricidade, do eletromagnetismo. O feng-shui por ser uma arte milenar tem um certo alcance, mas tem tecnologias atuais que não existiam naquela época, por exemplo, o telefone celular. E isso é muito nocivo, as estações rádio-base que são as estações de telefonia celular que são bastante nocivos para nossa saúde, temos o sistema wifi que são os roteadores dentro de casa que é outro problema. Então observamos tudo e fazemos essa análise para deixar isso em equilíbrio e não afetar a saúde das pessoas. 

‘Riovale Jornal’ - Porque doenças podem estar relacionadas com o ambiente?

Isnar Amaral - Na realidade nós somos conectados com o ambiente através da nossa glândula pineal que é a nossa conexão magnética com o ambiente. E nós interferimos e interagimos com todo esse ambiente. Então dependendo da vibração, porque nosso corpo é uma máquina elétrica. A gente se alimenta de elétrons, vive em uma massa molecular, se for observar a diferença dessa sala para um aquário é o meio, porque aqui é ar e lá é água. Mas a gente está em um meio formado por moléculas de ar, então nós somos uma máquina elétrica e fica trocando esses elétrons com o ambiente. Estamos inalando oxigênio, captando a eletricidade do oxigênio, fazendo a troca iônica com o sangue e o sistema linfático e exalando gás carbônico que já não tem mais a mesma carga. Estamos interagindo com esse ambiente. E a depressão é um estado vibracional da pessoa, ele fica em uma frequência desarmônica que te leva a esse estado psíquico e o ambiente muitas vezes carregado com radicais livres pode levar a esse tipo de doença.

‘Riovale Jornal’ - Quais são os fatores ambientais evitáveis?

Isnar Amaral - São fatores ambientais que a gente vê, por exemplo, a qualidade do ar é possível analisar se está boa, rarefeita, poluída. Produtos químicos no ambiente também podem prejudicar a saúde. Os biológicos como mofo nas paredes, bactérias, vírus nos hospitais, que é um fator ambiental que está interferindo na saúde das pessoas que estão internadas. Mas existem fatores que não enxergamos, que são mais perigosos que são as radiações e as energias sutis. As radiações têm várias fontes, por exemplo, uma corrente elétrica de um aparelho gera um campo eletromagnético, qualquer aparelho ligado gera isso que é um fator evitável. Uma emissão que vem do solo, da terra, chama-se de telúrica, um veio d’água ou uma tubulação de esgoto que passe embaixo da cadeira, esse movimento da água gera uma eletricidade estática e isso fica emitindo radicais livres para o ambiente e pode causar o estresse oxidativo na pessoa, gerando envelhecimento, depressão e uma série de outras coisas causando um desequilíbrio. Esses são fatores elimináveis porque não é preciso ficar ali ou é possível eliminar aquela causa. Muitas vezes por desconhecer esses fatos a pessoa acabando contraindo uma doença ou um desequilíbrio na saúde. Se analisar o ambiente e eliminar possíveis causas, vai ter um ambiente equilibrado. 

‘Riovale Jornal’ - Como mudar e controlar essas vibrações?

Isnar Amaral - Uma vez analisado e detectado essas vibrações, mapeia-se o ambiente e existem técnicas para eliminar. Detectamos e fazemos a correção disso ou eliminamos. Por exemplo, essa emissão que vem do solo, é o caso de a cama estar em cima de um lugar que passa um encanamento de esgoto embaixo, isso é uma das causas de muitos problemas de câncer. Como eliminar isso é tirando a cama dali ou anulando eletricamente. Tudo tem como resolver. Às vezes não temos uma solução pronta, mas aí nós criamos alguma. Isso é tudo ciência, não tem nada a ver com religião ou crença.