Edição do dia 21/05/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Câmara aprova projeto que intensifica combate à dengue
GERAL
Câmara abre processo seletivo público para estágio
GERAL
Regulamento do Concurso de Soberanas da 35ª Oktoberfest está disponível
VARIEDADES - Documento pode ser retirado na secretaria da Assemp ou no site da festa
Combate à dengue: Vistoriados mais de 7,4 mil imóveis
SAÚDE - Segunda etapa da megaoperação é no próximo sábado, 25, nos bairros Arroio Grande e Santo Antônio
Assaf vence pela terceira vez na Ouro
ESPORTES
Segundona Gaúcha
ESPORTES - Com novo técnico, Galo sobe na tabela
Brasileiro Série D: Avenida vence e lidera grupo
ESPORTES - Equipe derrotou o Joinville dentro dos Eucaliptos, na tarde deste domingo
Casa de Artes Regina Simonis recebe os Tapetes Orientais
VARIEDADES
Nesta terça-feira será exibido o filme Oito e Meio
VARIEDADES - A obra retrata a história do cineasta Guido Anselmi
Hospital Santa Cruz completa 111 anos
SAÚDE
Ação escoteira realiza mais um EducAÇÃO
EDUCAÇÃO - As atividades foram realizadas no último sábado, na escola Gaspar Bartholomay
Assembleia de Deus celebra 65 anos
RELIGIÃO - O evento de aniversário contou com várias atividades e mais de 1,5 mil pessoas
CDL entrega prêmios nesta terça-feira
GERAL
Água: Agerst realiza audiência para discutir reajuste da tarifa
GERAL - O evento aberto ao público ocorrerá na quinta-feira
Brasil a longo prazo
EDITORIAL
Em ano de mudanças, Hospital Ana Nery apresenta sua nova marca
SAÚDE
Santa Cruz do Sul zera fila de espera por vagas na educação infantil
EDUCAÇÃO
CDL sorteia prêmios das vendas de Dia das Mães
GERAL

As origens da forma no direito

OPINIÃO - 11/12/2018

A matriz que origina a democracia deveria ser a vontade popular e dela deveriam emergir as diretrizes que comporiam o arcabouço jurídico da sociedade. Todavia, o Poder Econômico, estabelecendo um Poder Soberano, oculta a verdadeira matriz da chamada "democracia", 
Em todas as épocas, desde tempos imemoriais, que uma classe, acima de todas as outras, mesmo que percentualmente pequena, dita os direitos em todas as áreas. E esse poder soberano, em épocas passadas, foi praticado como forma perversa de dominação de classe. Todas as constituições no mundo, com algumas exceções, expressam a vontade dominante e seus cânones respiram aquela vontade, seja nas relações de produção, como nas relações sociais. O indivíduo só tem proteção legal quando ela não fere os interesses dominantes. As conquistas cidadãs são penosas e produzidas depois de muita luta e confrontos entre as classes sociais.
Depois que a grande mídia brasileira inseriu no imaginário popular o ódio de classe e a demonização da esquerda, as classes subjugadas e os vassalos das elites adaptaram-se a uma posição dominada, incorporando os valores dominantes. As eleições no Brasil demonstraram o fracasso das elites no propósito de dominar o cenário político, tendo que dar uma guinada à extrema direita e aceitar valores repulsivos para derrotar a esquerda. O reconhecimento desses valores extremistas contradiz os velhos valores da revolução burguesa, sujeitando o País a uma agenda perigosa. 
É nesse cenário que a destruição dos principais direitos sociais e trabalhistas passa em branco, pois os agentes da base política das classes dominantes, como bons vassalos, incorporaram os novos valores. Escola sem partido, fim do ensino público, fim do 13º salário e outras conquistas, são relegadas a um plano inferior, ausente no debate da classe média submetida, que prioriza a destruição da esquerda, ressucitando o velho anticomunismo. As propostas de extermínio dos adversários, com os mesmos princípios do nazismo na perseguição aos judeus e poloneses, terminam pela aceitação na base do regime. Não será surpresa uma nova legislação criminalizando as formas de pensar da esquerda, especialmente o comunismo, mesmo que este seja um ideário que nunca foi claramente definido. O Stalinismo não é um equivalente comunista, mas um regime totalitário, um capitalismo de estado com privilégios e extermínio dos opositores.  O ódio implantado transcede as relações sociais amistosas e provoca, inclusive, a violência.
Na política os extremos são eficazes para estabelecer uma dominação perversa, transformando a maioria numa massa de robôs. A esquerda, com seus valores tradicionais de cidadania, liberdade, igualdade social e inclusão, passa a ser demonizada de tal sorte, que seus líderes, mesmo tendo posturas inatacáveis, passam a ser vistos como delinquentes. O arcabouço jurídico passa a ser modificado e elaborado atendendo os interesses totalitários, ocasionando um retrocesso medonho e cruel, com valores antes rejeitados pela repugnancia de seus conteúdos.
A linguagem do direito passa a ser afetada por um Estado Autoritário, comprometendo os principais valores humanitários construídos ao longo da história.

Luiz Augusto Rodrigues - Advogado - luizaugustorp@hotmail.com