Edição do dia 19/07/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Domingo tem Brique da Praça
GERAL
Unisc forma 16ª turma de Medicina
GERAL
Stock: Nelsinho Piquet corre pela primeira vez em Santa Cruz do Sul
ESPORTES - Piloto da equipe Texaco Full Time Sports terá experiência inédita neste fim de semana na pista gaúcha
Edição de inverno do curso Escola de formação de professores tem início na Unisc
EDUCAÇÃO
Audiência pública debate alterações no Plano Diretor
GERAL
Quatro cidades gaúchas
VARIEDADES - Quarta temporada de 'O professor pelado' tem reestreia repaginada
Domingo tem etapa da 5ª Olimpíada Rural
GERAL - Esse será o primeiro compromisso oficial das 14 candidatas a soberanas da 35ª Oktoberfest
Copa Seu Verardi
ESPORTES - Uma semana de treinos no Avenida
Rodada desta sexta vai apontar os semifinalistas
ESPORTES
Em jogo duas vagas no mata-mata da Copa CFC Celso
ESPORTES
Assaf joga nesta sexta-feira em Santa Maria
ESPORTES - Jogo foi alterado em virtude do Grenal neste sábado
Stock Car: Quinta etapa é neste final de semana
ESPORTES - Serão dois dias de atividades sem a companhia da Stock Light
Renomada professora do Serviço Social estará em Santa Cruz
GERAL
Novo Cabrais: Escola lança livro de receitas saudáveis
EDUCAÇÃO
Novo Cabrais: Pimenta visita obras e reafirma apoio ao município
GERAL - Deputado federal participou de almoço e conferiu de perto a pavimentação da Avenida Rodolfo Buss
Ascor e Prefeitura planejam nova exposição
GERAL
Colégio Mauá assume gestão da Escola Criança & Cia
EDUCAÇÃO
Prefeitura anuncia restauração do prédio
GERAL - Marcando a decisão, muda de árvore também foi plantada por alunos da rede de ensino municipal

A 'oposição' não foi

OPINIÃO - 04/01/2019

PT, PSOL, PCdoB não foram a posse de Bolsonaro, PSB e PDT liberaram seus deputados e senadores. Estar todos/as na posse, era um ato de resistência, porque não resistiremos faltando, a resistência só pode acontecer na presença, no “olho a olho”, por mais duro que isso possa ser.
Preciso dizer que essa é uma decisão que de fato, corresponde ao que “as esquerdas” (esquerda e centro-esquerda) vem fazendo nesse último período no Brasil. Andam ausentes, se juntando aqui e acolá, pra fazer alguns barulhinhos, cuidando de seus “nichos” eleitorais, “pregando para convertidos”, sem maiores interlocuções com os movimentos sociais, entidades de classe, associativas, etc. Prova disso, é a chegada de alguém do naipe de Bolsonaro a presidência da república, alguém sem história, sem ir a nenhum debate, sem articular três frases conexas, sem partido (o PSL praticamente não existia).
Bolsonaro venceu as eleições de outubro e assim, é o presidente do Brasil (por mais surreal que isso possa parecer). Com todas as críticas que temos em relação as deturpações via fake News e o nível baixíssimo de sua campanha, foi eleito pela maioria sim. Ah mas e as abstenções nulos e brancos? Quem se abstém não decide, portanto, perde a chance de se manifestar para aquela situação – ficam AUSENTES da escolha, “passam a bola”, “terceirizam a decisão”. Por isso não ir a posse, deixar de estar lá, pra assistirem eretos/as, olhando no olho de Bolsonaro, seria uma ato de PRESENÇA, de Resistência. E Resistência requer presença.
Estar na posse era dizer, “Estamos aqui”! “Seremos oposição e olhe bem pra nós”! “O senhor e os seus/suas não vão correr sozinho”! “Fomos eleitos por quem é a antítese do que tu pensa”! “Nos respeite”! Seriam 135 deputados/as federais também legitimamente eleitos/as e 12 senadores/as se mostrando ao novo mandatário do país, representando quem os elegeu. Porque sim, elegemos esses/as parlamentares para ESTAREM LÁ, independente do que acontecesse nas urnas. Mais uma vez em seus gabinetes, decidiram que estariam AUSENTES, enquanto nós não temos esse “privilégio” da não presença no dia a dia de um governo que começa tirando R$8,00 do salário mínimo.
Em quantos outros momentos marcantes da vida política nacional, a oposição vai faltar, vai democraticamente estar AUSENTE? A Democracia não pode ser interesseira, de ocasião, como é pra Bolsonaro e sua turma. Nosso senso democrata não pode valer só quando a gente ganha ou quando nossas ideias triunfam. Não há democracia sem o contraditório, no pensamento único. Na posse de Bolsonaro, ele nem precisou “varrer a oposição”, ela não foi. A Ausência é sempre duvidosa, é desconfiante. Quem discutiu no jogo anterior e não volta pro próximo jogo, fica de fora da turma. Aquele/a que faltou à aula perdeu o debate. O/a amigo/a que não te visitou não sabe como tu estava. O/a guri/a que não foi ao encontro, perdeu a possibilidade do namoro. É assim, não construímos na AUSÊNCIA.
Só é permitido a Ausência na posse de Bolsonaro, de Chico Mendes, Marielle Franco, Pe. Josimo, Manuel Monteiro, Vladimir Herzog, Frei Caneca, Margarida Alves, Dom Helder, Paulo Freire, Leonel Brizola, Mateus Schmidt, Miguel Arraes, João Amazonas e tantos/as outros/as que lutaram por um país mais justo e LIVRE – Mas esses ESTAVAM LÁ -  em ideias e ideais, em Oposição ao Bolsonaro e tudo o que ele representa, porque esses nunca faltaram. Por um 2019 de PRESENÇAS, de Permanências e de Resistência Presente.

*João Paulo Reis Costa – Historiador.