Edição do dia 15/01/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Bolsonaro assina decreto que flexibiliza a posse de armas
GERAL - Com decreto, pessoas acima de 25 anos podem ter até 4 armas de fogo
Multas podem ter prazo prorrogado
GERAL - Conforme Fiscalização de Trânsito do município ainda não há regulamentação para abordagem
Ajude as famílias afetadas com a chuva
GERAL
No dia 25 de janeiro mais 146 vagas remanescentes serão disponibilizadas
EDUCAÇÃO - O edital com a faixa etária e a escola será divulgado pela Secretaria Municipal de Educação
Secretário Faisal Karam reúne-se com Federação das Apaes
EDUCAÇÃO
Gilberto Petry é o novo presidente do Conselho Deliberativo
GERAL
Frente fria volta a intensificar chuvas no estado nos próximos dias
GERAL
Censo 2018 da Educação Básica
EDUCAÇÃO - Inep divulga dados da rede estadual de ensino
Novos agentes reforçam os quadros da Susepe em abril
POLÍCIA - Antes eles fazem curso sobre as normas de política penitenciária do Estado
Primeira edição do Sisu 2019 deve abrir mais de 235 mil vagas
EDUCAÇÃO
Consultas de CPFs para vendas a prazo no comércio crescem 2,8%
ECONOMIA
Hemovida está com estoque acima da média
SAÚDE - Desde setembro do ano passado, o número de captação sanguínea tem sido maior do que o de transfusões
Nova praça de lazer será construída no centro
GERAL - Local escolhido foi o coração da cidade, ao lado da futura Biblioteca Municipal
Inflação para idosos fecha 2018 em 4,75%, informa FGV
ECONOMIA
Produção de bicicletas aumenta 15,9% no Brasil
ECONOMIA
Receita abre consulta a restituição
GERAL - Serão contempladas as restituições residuais referentes aos exercícios de 2008 a 2018
Atividade do Varejo fecha 2018 com crescimento de 2,8%
ECONOMIA
STF vai julgar casos polêmicos a partir do próximo mês
GERAL

Bolsonaro: "Transparência acima de tudo"

Para o presidente, meta deve abranger atos dos governos atual e anteriores

POLÍTICA - 07/01/2019

Bolsonaro e parte de sua equipe: não pode haver "confidencialidade pretérita"Bolsonaro e parte de sua equipe: não pode haver "confidencialidade pretérita" Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro disse que a transparência será marca de seu governo e reforçou a missão aos novos dirigentes de bancos estatais que assumiram nesta segunda-feira, 7, o comando do Banco do Brasil, da Caixa Econômica e do BNDES. Segundo ele, essa tarefa terá que abranger inclusive atos do passado promovidos pelos “amigos do rei” dentro destas instituições.

“Transparência acima de tudo. Todos os nossos atos terão que ser abertos para o público. E o que aconteceu no passado também. Não podemos admitir qualquer cláusula de confidencialidade pretérita. Esses atos e ações tornar-se-ão públicos”, afirmou.

Bolsonaro destacou que a escolha dos três novos presidentes de bancos foi feita exclusivamente pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Segundo ele, essa liberdade dada a todos os ministros de seu governo inaugura um novo modelo de gestão.

“Há pouco, o que mais se ouvia era uma verdadeira briga para definir qual partido ficaria com esta ou aquela diretoria de banco”, afirmou o presidente, destacando que essa era uma sinalização clara de que a economia não iria bem. O presidente voltou a alertar sua equipe da responsabilidade de sua administração e reiterou: “Nós não podemos errar”.

Verbas Publicitárias

Ao retomar a orientação para que todo seu governo trabalhe com transparência, Bolsonaro aproveitou o discurso de posse na solenidade, que ocorreu no Palácio do Planalto, para anunciar a democratização de verbas publicitárias. O assunto, segundo ele, foi tratado com a equipe econômica.

“Nenhum órgão de imprensa terá direito a mais ou menos daquilo que nós viermos a gastar com nossa imprensa. Queremos que cada vez uma imprensa mais fortes e isenta. A imprensa livre é a garantia da nossa democracia. Vamos acreditar em vocês, mas estas verbas não serão mais privilegiadas para a empresa A, B ou C”, disse.

O recado também foi transmitido para as organizações não governamentais (ONGs) que, de acordo com Bolsonaro, terão o repasse de recursos submetido a um “rígido controle, para que possamos fazer com que recursos públicos sejam melhor utilizados”. (Fonte: Agência Brasil)