Edição do dia 15/01/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Bolsonaro assina decreto que flexibiliza a posse de armas
GERAL - Com decreto, pessoas acima de 25 anos podem ter até 4 armas de fogo
Multas podem ter prazo prorrogado
GERAL - Conforme Fiscalização de Trânsito do município ainda não há regulamentação para abordagem
Ajude as famílias afetadas com a chuva
GERAL
No dia 25 de janeiro mais 146 vagas remanescentes serão disponibilizadas
EDUCAÇÃO - O edital com a faixa etária e a escola será divulgado pela Secretaria Municipal de Educação
Secretário Faisal Karam reúne-se com Federação das Apaes
EDUCAÇÃO
Gilberto Petry é o novo presidente do Conselho Deliberativo
GERAL
Frente fria volta a intensificar chuvas no estado nos próximos dias
GERAL
Censo 2018 da Educação Básica
EDUCAÇÃO - Inep divulga dados da rede estadual de ensino
Novos agentes reforçam os quadros da Susepe em abril
POLÍCIA - Antes eles fazem curso sobre as normas de política penitenciária do Estado
Primeira edição do Sisu 2019 deve abrir mais de 235 mil vagas
EDUCAÇÃO
Consultas de CPFs para vendas a prazo no comércio crescem 2,8%
ECONOMIA
Hemovida está com estoque acima da média
SAÚDE - Desde setembro do ano passado, o número de captação sanguínea tem sido maior do que o de transfusões
Nova praça de lazer será construída no centro
GERAL - Local escolhido foi o coração da cidade, ao lado da futura Biblioteca Municipal
Inflação para idosos fecha 2018 em 4,75%, informa FGV
ECONOMIA
Produção de bicicletas aumenta 15,9% no Brasil
ECONOMIA
Receita abre consulta a restituição
GERAL - Serão contempladas as restituições residuais referentes aos exercícios de 2008 a 2018
Atividade do Varejo fecha 2018 com crescimento de 2,8%
ECONOMIA
STF vai julgar casos polêmicos a partir do próximo mês
GERAL

Crimes contra a vida apresentam queda superior a 20% no RS em 2018

POLÍCIA - 11/01/2019

 

Em Porto Alegre, as ocorrências de homicídio doloso diminuíram 21,8%, enquanto o número de vítimas fatais de homicídio decresceu Em Porto Alegre, as ocorrências de homicídio doloso diminuíram 21,8%, enquanto o número de vítimas fatais de homicídio decresceu Crédito: Rodrigo Ziebell/SSP

 

 

Os dados estatísticos da criminalidade no Rio Grande do Sul em 2018 foram apresentados nesta semana pela Secretaria da Segurança Pública (SSP). Em comparação com o ano anterior o levantamento revela que houve a redução de 21,8% nos casos de homicídios e 29,9% nos latrocínios. A redução de vítimas fatais nos indicadores de homicídio doloso também se manteve, chegando a 22,1% (total de 652 mortes a menos).  Em Porto Alegre, as ocorrências de homicídio doloso diminuíram 21,8%, enquanto o número de vítimas fatais de homicídio decresceu a 20,9%. A redução representa 139 mortes a menos em comparação com 2017. O crime de latrocínio, no entanto, registrou uma ocorrência a mais em 2018. No total, 16 indicadores compõem a divulgação oficial da SSP. Eles representam os crimes de maior potencial ofensivo contra a vida e contra o patrimônio. No âmbito estadual, apenas o crime de roubo de bancos teve alta: 20%.  
 

Aumento de casos de feminicídios 

A Secretaria de Segurança Pública do Estado, também divulgou junto com o balanço de criminalidade, o crescimento em 41% das mortes de mulheres por questões de gênero. Foram 117 vítimas no ano passado contra 83 em 2017, um aumento de 34 casos. O número de feminicídios é maior que o registrado em 2012, quando 101 mulheres foram mortas. O levantamento também aponta que no ano passado foram registrados 31 casos a mais de tentativas de feminicídios. Em 2017 foram 324 registros. Já em 2018, o total foi de 355.

Vale do Rio Pardo

Na região do Vale do Rio Pardo, houve também uma redução nos homicídios, no ano de 2017, houve um total de 103, já no ano de 2018, 83, demonstrando uma redução de 19,41%.
Além disso, foram 705 visitas realizadas por meio da Patrulha Maria da Penha. Visando sempre evitar feminicídios, preenchendo um espaço que antes não era ocupado, dando uma maior atenção para as mulheres. Referente aos entorpecentes, foram 68,683 quilos de drogas apreendidas. Sendo que as maiores apreensões foram de crack, cocaína, maconha e ecstasy. Foram 4.323 prisões realizadas, com uma média de 12,5 prisões por dia. 
Nas PCI’s, as Patrulhas Comunitárias do Interior, foram 56 palestras, 57 reuniões, 5.230 visitas comunitárias comerciais, 2.418 visitas comunitárias residenciais. 
Além disso, 68.465 alunos se formaram no Proerd – Programa Educacional de Resistência às Drogas, sempre visando a prevenção das crianças e pré-adolescentes.
No Núcleo de Policiamento Comunitário foram 1.212 visitas comunitárias comerciais e 369 visitas comunitárias residenciais. Na Patrulha Escolar Comunitária, que completou um ano em outubro deste ano, foram 2.780 visitas em escolas públicas e 111 em particulares. As visitas tem por finalidade coibir delitos, visando uma atuação da polícia ostensiva, proativa e antecipada, na preservação da ordem pública.
Segundo o Comandante do Comando Regional de Polícia Ostensiva do Vale do Rio Pardo, Coronel Valmir José dos Reis, a redução dos crimes violentos “não acontece por acaso” e é resultado de “estratégias e investimentos que estão sendo feitos em segurança”. Para o comandante, o aumento do número de apreensões de armas pela Brigada Militar também tem contribuído de forma expressiva para a redução dos homicídios, bem como dos crimes contra o patrimônio. Em 2017 foram 93 armas apreendidas e em 2018, um total de 148, representando um aumento de 37,16% “Nosso trabalho se pauta em uma polícia de proximidade, e num trabalho estratégico e articulado entre as instituições de segurança e apoio diferenciado da sociedade civil, com estratégias modificadas diariamente para garantir mais segurança para a população”, relata.

Dados estatísticos da criminalidade no RS em 2018

- Homicídio doloso: -21,8%
- Latrocínio: -29,9%
- Furtos: -9%
- Abigeato: -25%
- Furto de veículo: -14,9%
- Roubos: -18,6%
- Roubo de veículo: -10%
- Furto de bancos: -25,2%
- Roubo de bancos: 20%
- Furto de comércio: -14,2%
- Roubo de comércio: -27,7%
- Roubo de usuários de transporte coletivo: -38,8%
- Roubo de profissionais de transporte coletivo: -31%
- Ameaça contra mulheres: -3,5%
- Lesão corporal contra mulheres: -6,2%
- Estupro de mulheres: -10,3%