Edição do dia 12/11/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Brigada Militar prende homem por violência doméstica
POLÍCIA
Realeza da Vila lança samba-enredo nesta quinta-feira
GERAL - Na ocasião serão comemorados os 30 anos da escola de samba
Mudanças são anunciadas nas secretarias
GERAL
Dia de visitações, experiências e expectativas no Viva Unisc 2019
GERAL
Solenidade marca aniversário do General Gomes Carneiro
GERAL - Na ocasião também foi comemorada a chegada do III Batalhão ao município
Pequenas atitudes
OPINIÃO
Verrugas Estelares
OPINIÃO
Em defesa da vida
OPINIÃO
CDL aponta 800 vagas temporárias
ECONOMIA - Expectativa é de boas oportunidades de emprego para o período
ACI: Eleição ocorre hoje
GERAL
Vigilância Colaborativa: Lançamento do Programa acontece hoje
GERAL
GREVE: Polícia Civil paralisa nesta quarta-feira
POLÍCIA
Campeonato Municipal inicia no próximo dia 22
ESPORTES
AMO/Unimed VTRP: Atletas brilham pelo estado
ESPORTES
Dois times largam com vitória na estreia da Copa Lisaruth
ESPORTES
Estadual sub 19: Santa Cruz vence fora e fica perto da final
ESPORTES
Regional: São José larga na frente nas semifinais
ESPORTES
Universidade aguarda mais de cinco mil estudantes
GERAL

Ter cautela sempre é bom

Ódio extremo à esquerda ou à direita, é um primeiro passo para a concretização de pleitos antidemocráticos

EDITORIAL - 29/01/2019

É possível reconhecer méritos tanto da esquerda quanto da direita. Ambos os lados possuem suas falhas, mas a construção da democracia, e o seu desenvolvimento pleno, passam por dar voz e espaço aos dois setores (e a uma ideologia de centro também). Os méritos da direita passam por uma administração mais racional dos recursos públicos e pelo estímulo à economia de mercado. As qualidades da esquerda passam pelo investimento nas causas sociais, reduzindo as desigualdades. Obviamente, esse é um resumo de questões muito amplas, mas isso nos ajuda a perceber o quanto é importante a preservação de ideologias dissonantes, que discordam entre si.

Não é justo um “afogamento” ou uma supressão deste ou daquele lado, na contenda política. Quando essa supressão se coloca em prática, temos a consolidação do governo totalitário. E aí entra-se no terreno perigoso, que coloca a liberdade em perigo. Infelizmente, o caso da Venezuela, país vizinho ao Brasil, evidencia um grave exemplo de supressão, que impede a alternância no poder e a disputa justa entre esquerda e direita.

O ódio extremo à esquerda ou à direita, é um primeiro passo para o extremismo, e para a concretização de pleitos antidemocráticos, constituindo, a partir daí, o que poderá se configurar em um governo totalitário. Precisamos ter muito cuidado no debate político. Sempre é bom um pouco de cautela. Essa ideia vale para a Venezuela, para o Brasil, para qualquer lugar do mundo. Os políticos mais habilidosos conhecem a importância de ser cauteloso. O que se vê nas redes sociais, muitas vezes, é o contrário disso. Fiquemos bem atentos. Reconsiderar opiniões não representa um passo em falso.