Edição do dia 19/07/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Domingo tem Brique da Praça
GERAL
Unisc forma 16ª turma de Medicina
GERAL
Stock: Nelsinho Piquet corre pela primeira vez em Santa Cruz do Sul
ESPORTES - Piloto da equipe Texaco Full Time Sports terá experiência inédita neste fim de semana na pista gaúcha
Edição de inverno do curso Escola de formação de professores tem início na Unisc
EDUCAÇÃO
Audiência pública debate alterações no Plano Diretor
GERAL
Quatro cidades gaúchas
VARIEDADES - Quarta temporada de 'O professor pelado' tem reestreia repaginada
Domingo tem etapa da 5ª Olimpíada Rural
GERAL - Esse será o primeiro compromisso oficial das 14 candidatas a soberanas da 35ª Oktoberfest
Copa Seu Verardi
ESPORTES - Uma semana de treinos no Avenida
Rodada desta sexta vai apontar os semifinalistas
ESPORTES
Em jogo duas vagas no mata-mata da Copa CFC Celso
ESPORTES
Assaf joga nesta sexta-feira em Santa Maria
ESPORTES - Jogo foi alterado em virtude do Grenal neste sábado
Stock Car: Quinta etapa é neste final de semana
ESPORTES - Serão dois dias de atividades sem a companhia da Stock Light
Renomada professora do Serviço Social estará em Santa Cruz
GERAL
Novo Cabrais: Escola lança livro de receitas saudáveis
EDUCAÇÃO
Novo Cabrais: Pimenta visita obras e reafirma apoio ao município
GERAL - Deputado federal participou de almoço e conferiu de perto a pavimentação da Avenida Rodolfo Buss
Ascor e Prefeitura planejam nova exposição
GERAL
Colégio Mauá assume gestão da Escola Criança & Cia
EDUCAÇÃO
Prefeitura anuncia restauração do prédio
GERAL - Marcando a decisão, muda de árvore também foi plantada por alunos da rede de ensino municipal

A criminalização da Homotransfobia

OPINIÃO - 19/06/2019

O Ordenamento Jurídico de um Estado Democrático de Direito precisa atender as demandas da sociedade e oferecer resposta àquelas que emergem intrínsecas as evoluções sociais.
Símbolo da redemocratização brasileira, a Constituição Federal, conjunto de leis fundamentais que organiza e rege o funcionamento do país, constitui como objetivo fundamental da República o propósito de promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação. Ou seja, o Constituinte disse: “aqui, nesse país de sociedade plural, você terá o espaço, o direito fundamental, de ser singular.”
E algumas legislações infraconstitucionais caminharam para dar efetividade aos direitos fundamentais para grupos sociais vulneráveis; criminalizando o racismo e a violência contra a mulher, por exemplo.
Mas passados 30 anos do comando Constitucional, o Código Penal permanece insuficiente para proteger a população LGBT, e a atividade legislativa tampouco demonstra interesse em sanar, com a prioridade necessária, o impeditivo da efetividade das normas constitucionais.
O silêncio de três décadas autorizou o uso do controle da omissão legislativa, e através do julgamento de Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão, o Supremo Tribunal Federal prolatou decisão histórica e paradigmática: até que o Congresso Nacional edite lei específica, as condutas homofóbicas e transfóbicas se enquadram nos crimes previstos na Lei 7.716/2018, conhecida como Lei do Racismo – cuja interpretação estabelece que o conceito de racismo ultrapassa critérios biológicos, e se traduz na negação da dignidade e da humanidade de grupos vulneráveis.
Consoante bem sintetizou a ministra Cármen Lúcia, na prolação de seu voto: “a identidade de uma pessoa não deve ser usada como pretexto para desigualdade de direitos.” Ainda, definiram os ministros que, a liberdade de expressão não será restringida, contudo não poderá representar discurso de ódio, eis que esse será fator limite entre o exercício de direito e o crime de prática homotransfóbica.
Por óbvio, a previsão legal não resolve, por si só, problemas sociais. Contudo, além do inegável avanço do país na proteção aos Direitos LGBTs, sempre se espera que a imposição de uma previsão legal implique na alteração da cultura de um povo.

Angeline Kremer Grando - advogada e internacionalista, membro da equipe do BVK Advogados Associados.