Edição do dia 15/10/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Calendário de Eventos 2020
GERAL
35ª Oktoberfest: Shows tradicionalistas são atração desta quarta-feira
GERAL - Festa da Alegria terá apresentações do Grupo Fandangaço, às 20h, e Os Serranos, às 22h30, no Lonão
Festa da Alegria recebe 20 mil pessoas no Dia da Maturidade Ativa
GERAL - Mais de 40 grupos e excursões de todo o Estado estiveram na 35ª Oktoberfest nesta terça-feira, 15 de outubro
Dia do Professor: educação para a erradicação do trabalho infantil
GERAL - Conheça a história de dois profissionais que estão na linha de frente do programa ARISE, iniciativa que muda a realidade de crianças e adolescentes
Praça da Cultura levará o nome de José Paulo Rauber Filho
GERAL - Inauguração do local ocorreu no sábado, 12 e contou com a presença da família do homenageado
Terça-feira será de ponto facultativo nas escolas
GERAL - Além das escolas municipais e estaduais, algumas particulares também não terão aula neste dia
Dia do Eletricista é nesta quinta-feira
GERAL - Data marca a importância do profissional habilitado
Inscrições abertas para a Escola de Educação Infantil
GERAL - Há vagas gratuitas e pagas para crianças de 4 e 5 anos
Rodrigo Solda é o novo presidente
GERAL - Além dele, outros prefeitos foram empossados para a diretoria e conselho fiscal do biênio 2020/2021
Evento discute problemas do contrabando e a pirataria
GERAL - Palestra apresentou dados sobre as ameaças do mercado ilegal para a economia
Sicredi Vale do Rio Pardo enaltece o cooperativismo durante o desfile da 35ª Oktoberfest
GERAL
Quase 17 milhões já foram emprestados pelo município
GERAL
Primeiros dias de Oktoberfest superam 54,6 mil pessoas pagantes
GERAL - Semana segue repleta de atrações
Fala, professor!
EDUCAÇÃO - Especial Dia do Professor
Histórico da data
EDUCAÇÃO - Especial Dia do Professor
O profissional que dedica a sua vida a ensinar
EDUCAÇÃO - Especial Dia do Professor
O big bang é o Operacional Divino
OPINIÃO
Permitir não é obrigar
OPINIÃO

Desatinos e ameaças

OPINIÃO - 27/07/2019

A eleição do senhor Jair Bolsonaro à Presidência da República ocorreu em um momento muito particular da história brasileira. O descrédito de nosso sistema político, evidenciado pela Lava Jato, e a desmoralização do PT, envolvido pela corrupção, incapaz de acertar contas com os responsáveis e de se desculpar com a nação, formaram o clima ideal para a ascensão da extrema direita. O fato dos partidos de esquerda não terem construído uma agenda de reformas políticas e institucionais quando tinham poder para tanto, preferindo governar por programas e em aliança com o que havia de pior na política, reforçou o ceticismo. A irresponsável tática eleitoral do lulopetismo, que nunca desejou uma frente democrática antifascista e que, pelo contrário, tudo fez para inviabilizar a candidatura de Ciro Gomes, a mais apta a agregar uma frente dessa natureza no 2º turno, somado à ausência de políticas de segurança efetivas, ao medo disseminado e à constituição de um mundo paralelo de informações agressivas e absurdamente falsas, agenciado, notadamente, pelo WhatsApp, colocaram o Brasil no colo do mais despreparado e perigoso político de nossa história republicana.
Passados seis meses de governo, o que temos é um conjunto de atos governamentais desatinados e de declarações ridículas e ofensivas do presidente e de vários dos seus ministros que configuram ameaças inéditas, além da ausência de medidas capazes de retirar a economia da estagnação e de reduzir o desemprego que já atinge 14 milhões de brasileiros. Como se não bastasse, o governo manifesta enorme disposição em desconstituir as garantias elementares e as parcas conquistas sociais e trabalhistas asseguradas pela democracia; ataca a imprensa e promove a censura; desconstitui espetacularmente o sistema de proteção ambiental, o que já assegura índices recordes de desmatamento na Amazônia, que simplifica o regime de outorga da lavra garimpeira e inunda o campo – logo, nossa mesa - com 290 novos registros de agrotóxicos, agora reclassificados com rotulagem amena; liquida com a pesquisa e submete as universidades a um controle que sequer a ditadura militar ousou e que irá implicar, inclusive, na nomeação de pró-reitores pela Casa Civil. Enquanto isso, o presidente articula a indicação do filho – que já fritou hambúrgueres - para a embaixada nos EUA. Alguma surpresa? 
Ameaçado pelas denúncias de corrupção que atingem diretamente o senador Flávio Bolsonaro e o PSL, o partido da “nova política” e do antigo laranjal, o governo busca no STF a blindagem necessária, encontrando – triste ironia – a proteção almejada em ato do ministro Toffoli que, na prática, liquida com o COAF, fere de morte a Lava Jato e favorece bandidos ricos que vinham sendo investigados precisamente por conta de movimentações financeiras suspeitas. Tudo isso, assinale-se, sob o silêncio eloquente do senhor Sérgio Moro e do bolsonarismo, uma espécie de nova religião fundamentalista promovida pelo deus mercado que irá tensionar o país até o limite da ruptura com a democracia, para alegria geral dos tigres. 

Marcos Rolim - Doutor e mestre em Sociologia e jornalista. Professor do mestrado em Direitos Humanos da UniRitter e presidente do Instituto Cidade Segura. - [email protected]