Edição do dia 13/09/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Solidariedade declara apoio a Telmo
POLÍTICA
Saiba como ter desconto especial no IPTU do ano que vem
GERAL
A Hipnose pode auxiliar no autodesenvolvimento de forma eficaz
EMPRESARIAL - Especialista desmistificou tema e apontou benefícios da técnica no Café Empresarial
Reforma Tributária é tema da apresentação de Rigotto em Santa Cruz
GERAL
Dada a largada para a Semana Farroupilha
GERAL - Abertura aconteceu no Parque de Eventos na manhã desta sexta-feira
Fórum atrai dois secretários de Estado a Santa Cruz do Sul
GERAL - Representantes de todas as 28 regiões estiveram na Unisc nessa quinta-feira
Lino e Laila serão tema do Novo Cemai
GERAL
Aulas de autoescola com ou sem simulador de direção?
GERAL
Sessão especial para o ensino médio
VARIEDADES
Estudante de Santa Cruz conquista certificado de excelência internacional
EDUCAÇÃO
RGE instala aquecedores solares nas residências de 150 famílias
GERAL
Embarques devem superar os US$ 2 bilhões
GERAL
Depressão deve ser tratada no início, afirma especialista
ESPECIAIS - Mulheres sofrem de depressão duas vezes mais do que os homens
Tributo a Herb Alpert é hoje
VARIEDADES - Teatro do Mauá recebe apresentação às 20h
Sociedade Ginástica: Jantar Baile marca comemoração dos 126 anos
EMPRESARIAL
Farmácia Municipal reabre na segunda no novo prédio
SAÚDE
Grupo Tholl traz Casinha de Chocolate
VARIEDADES
18,2 mil exemplares foram vendidos
VARIEDADES - Além do sucesso em vendas, o público também compareceu e lotou a Praça Getúlio Vargas

Hospital Santa Cruz: Aniversário da Biblioteca da UTI Pediátrica

SAÚDE - 27/07/2019

O objetivo de criar a biblioteca é conectar pais e bebês de uma forma mais leve, ajudando a superar a dureza das horas dentro de uma UTIO objetivo de criar a biblioteca é conectar pais e bebês de uma forma mais leve, ajudando a superar a dureza das horas dentro de uma UTI Crédito: Divulgação

Ser paciente na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) não é nada fácil para as crianças e para seus pais. O que pode ajudar o tempo a passar mais rápido para as famílias é uma boa leitura. Na pressa de baixar à casa de saúde as pessoas não se dão conta de levar um livro para ler enquanto aguardam a espera por melhores resultados.
Com o objetivo de conectar pais e bebês de uma forma mais leve, ajudando a superar a dureza das horas dentro de uma UTI, fazendo o tempo de espera na unidade passar mais rápido e assim desbravar o mundo em histórias, foi criada no ano passado, junto com a equipe da UTI Pediátrica e com o apoio dos profissionais que lá atuam, uma pequena biblioteca. O espaço serve para que os pais possam ler para seus filhos, que ficam em muitos casos internados por meses se recuperando. 
No dia 19 de julho, fez um ano que a biblioteca transforma a vida dos pequenos. 

Um colo diferente, por Léla Mayer

Quando meu filho encontrava-se hospitalizado, sempre o acompanhava nas internações, além das roupas, fraldas e remédios, seu bonequinho de pano, seus DVDs musicais e seus livros preferidos. Apesar de toda limitação física, que lhe impossibilitava falar como outras crianças, ele conseguia se comunicar muito bem. A palavra, ainda que não fosse expressa verbalmente, estava nele, pois a linguagem sempre foi estimulada, através de diálogos, canções, histórias.
Sua última internação hospitalar durou 65 dias. Foram 65 dias de histórias e canções, de celebração da vida e partilha de afetos. Naqueles 65 dias, por mais difícil que fosse a sua situação, através dos vidros daquele imenso aquário que é uma UTI Pediátrica, eu partilhava da luta de outras mães e de outros bebês. Partilhava das lutas, das dores, das conquistas e das perdas. Muitas vezes olhava para aqueles bebês tão pequenos e tão frágeis. Olhava para seus pais, que esperaram tanto pelo momento de sua chegada, para pegar o filho no colo e acarinhar. E tudo que podiam fazer era olhar e sentir, raramente tocar.
No meu lado do aquário, quando me sentia impotente, eu cantava e contava histórias. Sabia que, quando a minha mão não podia tocar, minha voz podia. O tato é um sentido importante, quase sempre acarinhamos tocando a pele do outro. Mas a audição também é um sentido, assim como o paladar, a visão, o olfato. Contar histórias é um ato de carinho, um modo de cuidar, um laço que enlaça o bem querer entre duas ou mais pessoas.
Contar histórias, ler poesias, cantar canções, além de acarinhar os sentidos e aproximar as pessoas, podem produzir sentidos para a vida. Só temos certeza do aqui e agora, por isso, devemos saber viver o tempo presente do modo mais significativo, intenso e amoroso que podemos.
Naqueles 65 dias vivi intensamente o aqui e agora. Mas, era difícil ver outras mães sem poder tocar, alimentar, aconchegar seus pequenos. Foi então que pensei que se tivessem livros ao alcance das mãos, poderiam ler para seus bebês. Se, naquele momento, embalar no colo não era possível, poderiam embalar com palavras, com sons, com melodias. Histórias e poesias poderiam conectar pais e bebês de uma forma mais leve, ajudando a superar a dureza das horas dentro de uma UTI.
Foi assim que surgiu a ideia de um espaço para disponibilizar livros, portais para outros mundos, onde pais e bebês podem viver momentos mais leves e divertidos, onde o carinho e o embalo de um colinho podem chegar de outros modos, por outros sentidos, estreitando laços, fortalecendo vínculos.