Edição do dia 17/09/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Conselho lança o Polo dos Vales
GERAL
ENTRE QUATRO: Encenação acontece hoje e amanhã
VARIEDADES
RECEITA FEDERAL: Nova sede atenderá a partir de 8 de outubro
GERAL - Além da Delegacia da Receita Federal, a Procuradoria Geral da Fazenda também deve ocupar o espaço
Fentifumo inicia pauta de negociação
GERAL - Primeira reunião com a Federação e os Sindicatos ocorre na próxima quinta-feira
Otelio Drebes realiza palestra a professores
EDUCAÇÃO
Semana do Ministério Público começa hoje
GERAL - Promotores do caso Bernardo Boldrini estarão presentes
Reunião sobre Plantas Biotivas inicia hoje
GERAL
Prefeitura lança Alvará Digital
GERAL - A partir de agora, o documento pode ser feito em poucas horas, sem precisar sair de casa
Educar-se e Centro de Línguas promovem imersão bilíngue
EDUCAÇÃO
Sincotec-Varp realiza capacitação nesta quarta
GERAL
Projeto vai apresentar Santa Cruz e a 35ª Oktoberfest
VARIEDADES - Nos dois sábados da Festa da Alegria, ônibus sairão de Porto Alegre, Caxias do Sul e Santa Maria
Presidente dos Festejos Farroupilhas destaca a importância da cultura gaúcha
VARIEDADES
Tchê Bistrô e Arte: enaltecendo a tradição gaúcha
VARIEDADES
A força buscada nos versos
VARIEDADES
Cavalos passarão por inspeção antes do desfile
VARIEDADES - Além da Guia de Transporte Animal (GTA), será exigida apresentação de comprovantes para verificar as condições de saúde do animal
CTG de Paredão entregará 500kg em doações
VARIEDADES
Segurança Pública será reforçada em 36 municípios
POLÍCIA - Municípios da região receberão um total de aproximadamente R$ 2 milhões
Assaf vai encarar a Assoeva nas quartas de final
ESPORTES

Mourão: 'o Brasil precisa mudar'

Vice-presidente da República esteve em Santa Cruz do Sul nesta terça-feira

POLÍTICA - 06/08/2019


Viviane Scherer Fetzer
jornalismo@riovalejornal.com.br

Em palestra-almoço, vice-presidente apresentou os desafios do atual governo brasileiroEm palestra-almoço, vice-presidente apresentou os desafios do atual governo brasileiro Crédito: Viviane Fetzer


Foi com esta frase que o vice-presidente da República do Brasil, Antonio Hamilton Martins Mourão, iniciou sua palestra-almoço para o Projeto Gerir – Workshops de Gestão Organizacional, iniciativa da Gazeta Grupo de Comunicações que aconteceu no Hotel Águas Claras Higienópolis, nesta terça-feira, 6 de agosto. Segundo ele, “o Brasil precisa mudar e temos um duplo desafio para isso, que será resgatar o país da recessão econômica e entender a nova realidade global”. 
Ao traçar um panorama geral sobre o mundo garantiu que a democracia liberal está em crise e que a solução não chegará da noite para o dia, “o problema tem que ser solucionado por nós e é por meio da própria democracia liberal que vamos solucionar. Os líderes estão aí cada vez mais buscando seus objetivos e, nós também estamos buscando os nossos”, garantiu o vice-presidente. Ainda sobre o assunto, o vice-presidente afirmou que é preciso superar ameaças transnacionais como o terrorismo, o crime organizado, o esgotamento de fontes de energia, entre outros. 
O mundo, conforme a apresentação passa por uma mutação porque como vem de um longo ciclo de endividamento global, surge um mundo mais propenso a críticas e a crises políticas. “Estamos vivendo uma transição do modelo político-econômico do Pós-Guerra para outro ainda desconhecido e que pode levar décadas até ser atingido. O modelo que estamos vivendo, vai passar”, explicou Mourão. Explanando de forma rápida a questão da América do Sul, o vice-presidente deixou claro que “a droga é o pior flagelo dos últimos anos e está na nossa fronteira terrestre que é de 15.700 km com 10 países, tem que haver um trabalho grande nosso e dos vizinhos para que essa fronteira seja efetivamente controlada”. Não deixou de falar dos venezuelanos que chegam a mais quatro milhões espalhados pela América do Sul, pelos Estados Unidos e Europa.

 

Brasil
 

O vice-presidente explicou que ninguém tem dúvida do grande porte do país, mas sim da dificuldade que é transformar ele em uma potência. Citou as favelas em que o Estado não chega, mas o traficante paga tudo e comanda até o ir e vir das pessoas, “se não buscarmos a solução para esse problema social, será um eterno enxugar de gelo na luta contra o crime organizado. Nós, como governo temos que entender isso em todos os níveis”. 
A crise, segundo Mourão, não é só do Brasil, “é uma crise psicossocial centrada nessa instabilidade mundial que afeta também a juventude, que muda a sociedade em seu modo de se relacionar e, essa mudança está afetando”. Já em relação à crise política, ele aponta como um grande problema a fragmentação partidária do país, tendo 26 partidos dentro da Câmara dos Deputados. “Precisamos fortalecer o sistema partidário, o partido tem que representar efetivamente o pensamento de parcela da população, se isso não mudar será um eterno problema para qualquer governante, mas o que é preciso deixar claro é que o Congresso nunca foi tão livre para produzir aquilo que é de interesse da nação como hoje”. 
“O êxito internacional precisa ser conquistado também aqui dentro do Brasil. Precisamos recolocar o país no caminho do desenvolvimento. E isso vai ser em torno da própria democracia que é um objetivo nacional permanente”, explicou Mourão. A crise econômica também foi apresentada e segundo o vice-presidente, a busca incessante é por recolocar o Brasil nos trilhos, reestabelecendo a confiança no país e nas instituições tendo a retomada no crescimento e a segurança pública como prioridades. 

 

Mais informações na edição de sexta-feira, 9 de agosto.