Edição do dia 18/02/2020

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Lixo eletrônico será recolhido nos bairros
GERAL
Avenida já projeta amistoso contra o Passo Fundo
ESPORTES - Treinador quer diminuir os erros visando a estreia em março
Terreiro realiza festa de Yemanjá
RELIGIÃO
Mantenedora do CVV em Santa Cruz necessita de doações
SAÚDE
Quantas famílias são beneficiadas com aluguel social?
GERAL
Projeto também chega ao CRAS Beatriz
GERAL
Inscrições abertas para a oficina de costura
GERAL
Campanha incentiva doação de órgãos
SAÚDE
HSC abre edital para 2ª chamada da residência médica
SAÚDE
Corte a gordura, não corte os músculos
OPINIÃO
O Imposto do pecado (parte 2)
OPINIÃO
A vida é irônica
EDITORIAL
Amigos do Cinema retorna nesta terça-feira
VARIEDADES
Bailinho da Borges reúne 12 mil foliões
GERAL - Realizado no último sábado, 15, grande público marcou presença com fantasias e adereços carnavalescos
Concurso da prefeitura movimenta Santa Cruz
GERAL - Certame gerou grande fluxo de pessoas e focos de congestionamentos na cidade
NPOR incorpora novos alunos
GERAL - Cerimônia foi realizada na manhã de ontem no Pátio Duque de Caxias
Sinprom projeta ano letivo da categoria
EDUCAÇÃO
Atletas santa-cruzenses se destacam no litoral
ESPORTES

Dia do advogado: Advogado Moderno

ESPECIAIS - 09/08/2019

Advogar é defender a sociedade, sendo nossa missão atuar pelos direitos do cidadão.
O que não é sinônimo de levar todos os conflitos ao Judiciário.
Esta é uma cultura que almeja obter a resposta de qual parte tem razão quanto ao direito apresentado, abarrotando o Poder Judiciário de demandas.
O caráter individualista de cada interesse envolvido no conflito prevalece, cada qual considerando-se com mais direitos que o outro.
A pessoa egoísta requer os direitos sem atentar para o direito alheio.
E nesta disputa por direitos reivindica o reconhecimento de qual é o que vigorará, por meio do litígio que clama pela decisão de uma terceira pessoa, estranha ao fato, a quem se concede o poder de interferir, ditando a postura que deverá ser adotada e quem terá razão.
Cabe a todos nós advogados a atuação em favor de todos os envolvidos no conflito, com empatia, conduzindo eventuais discordâncias para o caminho da resolução, diante da capacidade de gestão seus próprios conflitos.
Devemos praticar o diálogo, a cooperação e a colaboração na advocacia.

Fernanda Brandt - Advogada OAB/RS 84.452. Docente. Mestra em Direito UNISC