Edição do dia 17/09/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Conselho lança o Polo dos Vales
GERAL
ENTRE QUATRO: Encenação acontece hoje e amanhã
VARIEDADES
RECEITA FEDERAL: Nova sede atenderá a partir de 8 de outubro
GERAL - Além da Delegacia da Receita Federal, a Procuradoria Geral da Fazenda também deve ocupar o espaço
Fentifumo inicia pauta de negociação
GERAL - Primeira reunião com a Federação e os Sindicatos ocorre na próxima quinta-feira
Otelio Drebes realiza palestra a professores
EDUCAÇÃO
Semana do Ministério Público começa hoje
GERAL - Promotores do caso Bernardo Boldrini estarão presentes
Reunião sobre Plantas Biotivas inicia hoje
GERAL
Prefeitura lança Alvará Digital
GERAL - A partir de agora, o documento pode ser feito em poucas horas, sem precisar sair de casa
Educar-se e Centro de Línguas promovem imersão bilíngue
EDUCAÇÃO
Sincotec-Varp realiza capacitação nesta quarta
GERAL
Projeto vai apresentar Santa Cruz e a 35ª Oktoberfest
VARIEDADES - Nos dois sábados da Festa da Alegria, ônibus sairão de Porto Alegre, Caxias do Sul e Santa Maria
Presidente dos Festejos Farroupilhas destaca a importância da cultura gaúcha
VARIEDADES
Tchê Bistrô e Arte: enaltecendo a tradição gaúcha
VARIEDADES
A força buscada nos versos
VARIEDADES
Cavalos passarão por inspeção antes do desfile
VARIEDADES - Além da Guia de Transporte Animal (GTA), será exigida apresentação de comprovantes para verificar as condições de saúde do animal
CTG de Paredão entregará 500kg em doações
VARIEDADES
Segurança Pública será reforçada em 36 municípios
POLÍCIA - Municípios da região receberão um total de aproximadamente R$ 2 milhões
Assaf vai encarar a Assoeva nas quartas de final
ESPORTES

Psicologia, arte e espiritualidade

ESPECIAIS - 27/08/2019

Tenho descoberto com o trabalho de psicologia clínica que temos poucos momentos de nossa vida cotidiana que acolhem nossos sentimentos e anseios mais íntimos. É como se vivêssemos duas realidades: uma que dá conta do trabalho, dos afazeres do dia a dia, e outra que fica vagando, ansiando por se manifestar num modo de vida mais sensível e criativo. Haverá possibilidade de unir esses dois estados, essas duas dimensões? Como construir uma vida na qual o interno e o externo coexistam em sintonias, em sinfonias que façam despertar o desejo e a conexão pela vida, numa dimensão mais sagrada? O sagrado está na atenção e na valorização do viver. 
Dedicar-se à psicologia, tanto enquanto psicólogos, quanto na busca pessoal por autoconhecimento, é um convite para ajustar essas diferenças que, para alguns, parecem inconciliáveis, como um caminho de permissão e valorização para escutar as vozes que clamam em nosso ser. E essas “vozes”, ou inquietações, são diversas para cada um e, ao mesmo tempo, assemelham-se, por meio de padrões arquetípicos, mesmo em diferentes culturas ou classes sociais. Nossas dores nos afastam e nos aproximam. Elas aparecem nas artes, nos consultórios psicológicos, nas buscas religiosas, na política, em toda a nossa existência. Portanto, cuidar de nossos anseios e sofrimentos é também valorizar nosso coletivo, é semear profundidade no cotidiano.
E o mais interessante é pensar que podemos criar e recriar nossas existências, nossas fantasias, de formas singulares, mas em conexão com nossa ancestralidade e com nossos referenciais coletivos, com mais paciência. Eis um trabalho que podemos fazer mais: o trabalho diário de esculpir nossa própria existência, de pensar e ouvir a dor de cada dia, o pesar, as dificuldades de levantar-se ou de adormecer como sinais da saúde querendo se manifestar, do novo querendo se instaurar, da criança querendo nascer. O novo pode estar no velho, o antigo pode estar no bebê. Tudo pode ser ressignificado, criado, imaginado e novamente pensado, num círculo ou numa espiral que me leva diretamente para meu velho dia a dia, para a terra que piso, para o trabalho que ocupo. 
O espiritual é o encontro daquilo que parecia impossível, como juntar sentimentos ambíguos, realidades contrárias, o “oposto do que eu disse antes”, como na música ”Metamorfose ambulante”, de Raul Seixas, um lugar no qual o céu (e todos os sonhos que essa imagem provoca) e a terra se encontram, no corpo de cada um, na vida imaginada e vivida.
Convido para pensarmos na psicologia, como um caminho que cada um pode escolher, no seu espaço mais misterioso, temível e valorizado, como também nas estradas de um coletivo que fala e que nos transforma. Saudamos todos os psicólogos e aos que se dedicam ao trabalho de conhecer a si mesmo. 

Ana Luisa Teixeira de Menezes - CRP 07345