Edição do dia 28/01/2020

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Fábrica da Philip Morris elimina copos plásticos descartáveis
GERAL
Depois de 7 anos, Boate Kiss segue sem condenados
GERAL - Primeiro julgamento deve acontecer em março, mas nem todos vão a júri em Santa Maria
Riovale Jornal engajado em campanhas
GERAL - Bem na Tampa do Hospital Santa Cruz e Hábito Legal do Hospital Ana Nery continuam arrecadando tampas e lacres recicláveis
Por que há lixo espalhado ao lado de contêineres?
GERAL - Fatos recentes aconteceram em regiões centrais da cidade
Novo Coronavírus deixa o mundo em alerta
SAÚDE - Até o momento estão constadas 80 mortes e 2.761 casos suspeitos
Prefeitura nos Bairros chega ao Bom Jesus
GERAL
Produtores podem devolver suas embalagens vazias de agrotóxicos
GERAL
Receita Estadual inicia primeira fase de Programa de Autorregularização
ECONOMIA
Prefeitura abre inscrições para processo seletivo de estagiários
GERAL
Estado paga segunda parcela do RS Verão Total
SAÚDE
2019: Gastos de brasileiros no exterior caem 5,4%
ECONOMIA
A fila no INSS envergonha o Brasil
OPINIÃO
Feliz safra nova
OPINIÃO
Netflix em busca da estatueta de ouro
OPINIÃO
Dia do Aposentado: Ação de panfletagem marca a data
GERAL - Realizada pelo Cpers, ação se concentrou na Praça Getúlio Vargas
Educação alerta pais e abre segunda chamada
EDUCAÇÃO - 106 crianças de 4 e 5 anos não tiveram suas matrículas efetuadas dentro do prazo
Aspede e Unico firmam parceria
ESPORTES
Patrick completa 100 jogos pelo Inter
ESPORTES

Saúde reforça para o cuidado contra sífilis

SAÚDE - 18/09/2019

Crédito: Divulgação

Diante do número de pessoas diagnosticadas com sífilis apenas neste ano em Santa Cruz do Sul, a Secretaria Municipal de Saúde (Sesa) chama atenção para a importância dos cuidados para evitar a doença. Entre janeiro e o início de setembro, foram registrados 128 casos. Embora o número seja inferior ao constatado no mesmo período de 2018 - quando foram 187 -, a situação ainda é preocupante.
A coordenadora do Centro Municipal de Atendimento à Sorologia (Cemas), enfermeira Micila Chielle, afirma que falta cuidado quanto às formas de prevenção da doença. “A sífilis pode ser adquirida por via oral, é preciso proteção. De forma geral, as pessoas não estão usando preservativos."
Das 128 pessoas diagnosticadas neste ano, apenas sete contraíram sífilis ainda durante a gestação. De acordo com a coordenadora do Cemas, não há um perfil determinado para os pacientes que contraem a doença. "De adolescentes a idosos, não tem sexo nem idade. Aparecem de todas as faixas etárias e classes sociais."
Em Santa Cruz do Sul, o tratamento está disponível em todos os postos de saúde e no Cemas. Entretanto, Micila chama atenção para as desistências dos pacientes. "Os motivos são diversos. Falta de consciência da gravidade da doença, falta da cultura do autocuidado ou porque a medicação é injetável e dolorosa", conta. Para evitar o problema, ela destaca a conscientização da importância do uso de preservativo e de uma conduta sexual responsável.

Saiba mais:*

1. O que é sífilis?
A sífilis é uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST) curável e exclusiva do ser humano, causada pela bactéria Treponema pallidum. Pode apresentar várias manifestações clínicas e diferentes estágios (sífilis primária, secundária, latente e terciária).
Nos estágios primário e secundário da infecção, a possibilidade de transmissão é maior. A sífilis pode ser transmitida por relação sexual sem camisinha com uma pessoa infectada ou para a criança durante a gestação ou parto.
A infecção por sífilis pode colocar em risco não apenas a saúde do adulto, como também pode ser transmitida para o bebê durante a gestação. O acompanhamento das gestantes e parcerias sexuais durante o pré-natal previne a sífilis congênita e é fundamental.
Em formas mais graves da doença, como no caso da Sífilis Terciária, se não houver o tratamento adequado pode levar a pessoa à morte.

2. Como prevenir?
O uso correto e regular da camisinha feminina e/ou masculina é a medida mais importante de prevenção da sífilis, por se tratar de uma Infecção Sexualmente Transmissível.
O acompanhamento das gestantes e parcerias sexuais durante o pré-natal de qualidade contribui para o controle da sífilis congênita.

3. Quais são os sinais e sintomas?
Os sinais e sintomas da sífilis variam de acordo com cada estágio da doença, que divide-se em:
Primária - sintomas
Ferida, geralmente única, no local de entrada da bactéria (pênis, vulva, vagina, colo uterino, ânus, boca, ou outros locais da pele), que aparece entre 10 a 90 dias após o contágio. Essa lesão é rica em bactérias.
Normalmente não dói, não coça, não arde e não tem pus, podendo estar acompanhada de ínguas (caroços) na virilha.
Secundária - sintomas
Os sinais e sintomas aparecem entre seis semanas e seis meses do aparecimento e cicatrização da ferida inicial.
Pode ocorrer manchas no corpo, que geralmente não coçam, incluindo palmas das mãos e plantas dos pés. Essas lesões são ricas em bactérias.
Pode ocorrer febre, mal-estar, dor de cabeça e ínguas pelo corpo.
Latente – fase assintomática
Não aparecem sinais ou sintomas.
É dividida em sífilis latente recente (menos de dois anos de infecção) e sífilis latente tardia (mais de dois anos de infecção).
A duração é variável, podendo ser interrompida pelo surgimento de sinais e sintomas da forma secundária ou terciária.
Terciária - sintomas
Pode surgir de dois a 40 anos depois do início da infecção.
Costuma apresentar sinais e sintomas, principalmente lesões cutâneas, ósseas, cardiovasculares e neurológicas, podendo levar à morte.
Uma pessoa pode ter sífilis e não saber, isso porque a doença pode aparecer e desaparecer, mas continuar latente no organismo. Por isso é importante se proteger, fazer o teste e, se a infecção for detectada, tratar da maneira correta. O não tratamento da sífilis pode levar a várias outras doenças e complicações, inclusive à morte.

4. Como é feito o diagnóstico?
O teste rápido (TR) de sífilis está disponível nos serviços de saúde do SUS, sendo prático e de fácil execução, com leitura do resultado em, no máximo, 30 minutos, sem a necessidade de estrutura laboratorial. Esta é a principal forma de diagnóstico da sífilis.
O TR de sífilis é distribuído pelo Departamento das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais/Secretaria de Vigilância em Saúde/Ministério da Saúde (DIAHV/SVS/MS) como parte da estratégia para ampliar a cobertura diagnóstica da doença. Nos casos de TR positivos (reagentes), uma amostra de sangue deverá ser coletada e encaminhada para realização de um teste laboratorial (não treponêmico) para confirmação do diagnóstico.
Deve-se avaliar a história clínico-epidemiológica da mãe, o exame físico da criança e os resultados dos testes, incluindo os exames radiológicos e laboratoriais, para se chegar a um diagnóstico seguro e correto de sífilis congênita.
Em caso de gestante, devido ao risco de transmissão ao feto, o tratamento deve ser iniciado com apenas um teste positivo (reagente), sem precisar aguardar o resultado do segundo teste.

5. Como é feito o tratamento da sífilis?
O tratamento de escolha é a penicilina benzatina (benzetacil), que poderá ser aplicada na unidade básica de saúde mais próxima de sua residência.
Esta é, até o momento, a principal e mais eficaz forma de combater a bactéria causadora da doença.
Quando a sífilis é detectada na gestante, o tratamento deve ser iniciado o mais rápido possível, com a penicilina benzatina. Este é o único medicamento capaz de prevenir a transmissão vertical, ou seja, de passar a doença para o bebê.
A parceria sexual também deverá ser testada e tratada para evitar a reinfecção da gestante.

6. O que é sífilis congênita?
A sífilis congênita é uma doença transmitida para criança durante a gestação (transmissão vertical). Por isso, é importante fazer o teste para detectar a sífilis durante o pré-natal e, quando o resultado for positivo (reagente), tratar corretamente a mulher e sua parceria sexual, para evitar a transmissão.
Recomenda-se que a gestante seja testada pelo menos em três momentos:
- Primeiro trimestre de gestação.
- Terceiro trimestre de gestação.
- Momento do parto ou em casos de aborto
A sífilis congênita pode se manifestar logo após o nascimento, durante ou após os primeiros dois anos de vida da criança.

7. Quais são as complicações da sífilis congênita?
- Aborto espontâneo;
- Parto prematuro;
- Má-formação do feto;
- Surdez;
- Cegueira;
- Deficiência mental;
- Morte ao nascer.

*Fonte: Ministério da Saúde