Edição do dia 13/12/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Santa Cruz perde Arno Frantz
GERAL - Ex-prefeito da cidade faleceu na manhã de ontem, de uma parada respiratória
Pagamento do IPVA com desconto começa dia 17 de dezembro
ECONOMIA
Aulas deverão ser concluídas somente em 2020
EDUCAÇÃO
Senac-RS lança edital para distribuição de vagas gratuitas
GERAL
Lei Geral de Proteção de Dados é tema de evento
GERAL
Novo Cabrais: Quadra de esportes da Linha São João é inaugurada
ESPORTES - Local foi construído pela prefeitura municipal, através de uma emenda parlamentar de Luiz Carlos Heinze
Novo Cabrais: Programação de Natal ocorre nesta sexta-feira
VARIEDADES - Evento contará com diversas atrações no Centro Desportivo Municipal
Novo Cabrais: Projeto sobre meio ambiente é desenvolvido na Teófilo
GERAL
Receita Estadual entrega dados de sonegação ao Ministério Público do RS
ECONOMIA
Saque imediato do FGTS
GERAL - Bolsonaro sanciona lei que aumenta limite
TSE aprova normas para eleição municipal de 2020
GERAL
NAAC realiza o 1º Seminário de Tradutores e intérpretes de Libras
GERAL
Christkindfest: Desfile Natalino é destaque no fim de semana
VARIEDADES
Senac inscreve para curso de Design
GERAL
Christkindfest 2019: Espetáculo Alma Única no dia 18 de dezembro
VARIEDADES
RGE investiu R$ 45,7 milhões no Vale do Rio Pardo
ECONOMIA
Escolas da região doam materiais
EDUCAÇÃO
Empregador assina a carteira digital pelo eSocial
GERAL

Vigilância Sanitária orienta o manejo de morcegos urbanos

Passíveis de adquirir e transmitir diversas enfermidades, os morcegos são considerados importantes para o equilíbrio ecológico

SAÚDE - 20/09/2019

'Eles são extremante importantes para a natureza', afirmou a médica veterinária'Eles são extremante importantes para a natureza', afirmou a médica veterinária Crédito: Agência Brasil

Rosibel Fagundes
[email protected]

O aparecimento frequente de morcegos em residências e prédios é comum nas áreas urbanas, principalmente no início da primavera e do verão, período de reprodução e de crescimento dos filhotes. De acordo com a médica veterinária Daniela Votto Klafke, da Vigilância Sanitária de Santa Cruz, são várias as situações que podem estar relacionadas com o aumento destes animais na área urbana. “Uma delas é o desmatamento, as pessoas invadem o habitat natural destes animais que desalojados acabam migrando para as cidades e passando a ter hábitos urbanos. Fora isso, temos duas outras questões como a iluminação pública que atrai um grande número de insetos, que é o principal alimento desta espécie. Outra questão é a nossa engenharia, especialmente no que diz respeito aos telhados que não são planejados de forma adequada para evitar que estes animais entrem. Então, é aqui na cidade que os morcegos encontram oferta de alimentos e abrigo adequado”, declarou.
A médica veterinária alerta a população sobre alguns cuidados no manejo destes animais para evitar acidentes e principalmente a transmissão do vírus da raiva. “Este tipo de morcego não ataca, apenas em caso de defesa. O ataque pode ocorrer quando se ele se sente ameaçado. Todos os morcegos podem carregar o vírus da raiva, que pode ser transmitido através da mordedura, arranhadura e lambedura feita em animais domésticos, como cães e gatos. Os morcegos também são agentes transmissores da histoplasmose, doença respiratória transmitida pela inalação de partículas fúngicas que estão presentes em suas fezes secas. Por isto alertamos, aquelas pessoas que tem o hábito de subir no forro de suas casas ou outros locais onde suspeitam que seja um abrigo destes animais, é recomendado que a limpeza seja feita utilizando-se luvas, máscaras e óculos de proteção. Outra possível transmissão é da salmonelose, doença letal adquirida pela ingestão de alimentos contaminados com fezes”, advertiu Daniela. 
Ainda de acordo com ela, mesmo que sejam considerados transmissores de doenças para os seres humanos, a legislação brasileira protege os morcegos pelo fato deles terem um importante papel ecológico. “É proibido matar morcegos, trata-se de um crime ambiental. A multa pode chegar a R$ 5 mil por animal morto. Eles são extremamente importantes para a natureza. Existem espécies que se alimentam exclusivamente de insetos, outras de frutos, néctar, pólen e parte das flores. Eles são responsáveis pelo controle das populações de insetos, pela regeneração de áreas e auxiliam na reprodução de plantas, por meio da polinização e dispersão de sementes”, afirmou.
A remoção destes animais de prédios e residências deve ser realizada apenas por empresas especializadas. A Vigilância Sanitária orienta, que caso seja encontrado um morcego caído no chão, durante o dia ou em locais ou horários não habituais, deve-se evitar contato com o animal. O mesmo deverá ser colocado dentro de uma caixa ou balde e encaminhado para que a Vigilância Sanitária realize exames a fim de verificar se a morte do animal está relacionada com alguma doença que pode pôr em risco o ser humano”, explicou Daniela.