Edição do dia 15/10/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Calendário de Eventos 2020
GERAL
35ª Oktoberfest: Shows tradicionalistas são atração desta quarta-feira
GERAL - Festa da Alegria terá apresentações do Grupo Fandangaço, às 20h, e Os Serranos, às 22h30, no Lonão
Festa da Alegria recebe 20 mil pessoas no Dia da Maturidade Ativa
GERAL - Mais de 40 grupos e excursões de todo o Estado estiveram na 35ª Oktoberfest nesta terça-feira, 15 de outubro
Dia do Professor: educação para a erradicação do trabalho infantil
GERAL - Conheça a história de dois profissionais que estão na linha de frente do programa ARISE, iniciativa que muda a realidade de crianças e adolescentes
Praça da Cultura levará o nome de José Paulo Rauber Filho
GERAL - Inauguração do local ocorreu no sábado, 12 e contou com a presença da família do homenageado
Terça-feira será de ponto facultativo nas escolas
GERAL - Além das escolas municipais e estaduais, algumas particulares também não terão aula neste dia
Dia do Eletricista é nesta quinta-feira
GERAL - Data marca a importância do profissional habilitado
Inscrições abertas para a Escola de Educação Infantil
GERAL - Há vagas gratuitas e pagas para crianças de 4 e 5 anos
Rodrigo Solda é o novo presidente
GERAL - Além dele, outros prefeitos foram empossados para a diretoria e conselho fiscal do biênio 2020/2021
Evento discute problemas do contrabando e a pirataria
GERAL - Palestra apresentou dados sobre as ameaças do mercado ilegal para a economia
Sicredi Vale do Rio Pardo enaltece o cooperativismo durante o desfile da 35ª Oktoberfest
GERAL
Quase 17 milhões já foram emprestados pelo município
GERAL
Primeiros dias de Oktoberfest superam 54,6 mil pessoas pagantes
GERAL - Semana segue repleta de atrações
Fala, professor!
EDUCAÇÃO - Especial Dia do Professor
Histórico da data
EDUCAÇÃO - Especial Dia do Professor
O profissional que dedica a sua vida a ensinar
EDUCAÇÃO - Especial Dia do Professor
O big bang é o Operacional Divino
OPINIÃO
Permitir não é obrigar
OPINIÃO

Hospital veterinário avalia realizar exames de Mormo

Custo para realizar análises necessárias para o transporte de equinos cairia

GERAL - 08/10/2019

Tibicuera entregou a solicitação à coordenadoria do curso de veterinária da Unisc na sexta passadaTibicuera entregou a solicitação à coordenadoria do curso de veterinária da Unisc na sexta passada Crédito: Divulgação

Grasiel Grasel
[email protected]

Depois da queda na adesão de cavaleiros no Desfile Farroupilha deste ano, o Piquete Regional da OAB e o Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Santa Cruz do Sul iniciaram uma série de avaliações para reverter o quadro preocupante para o cenário tradicionalista regional. Uma das soluções encontradas vêm das reduções de custos que envolvem exames necessários para a emissão da Guia de Transporte Animal (GTA) e, na última sexta, dia 4, as entidades, representadas por Tibicuera de Almeida, levaram à Unisc um documento solicitando a avaliação da possibilidade de instalarem no futuro Hospital Veterinário da universidade um laboratório para que a análise do sangue dos equinos seja realizada aqui na cidade.
De acordo com Almeida, que é patrão do piquete e presidente do conselho deliberativo do núcleo de criadores, as entidades tradicionalistas e associações de criadores não são contra a exigência de exames para que as guias de transporte sejam emitidas. “Acreditamos que estes exames são necessários, são uma questão de sanidade animal e pública, mas na questão dos custos a gente precisa se unir pra amenizar o prejuízo”, diz. Segundo ele, os efeitos negativos do alto custo deste processo preventivo já são sentidos também em exposições, rodeios e cavalgadas.
Atualmente, para realizar a retirada de uma Guia de Transporte Animal para cavalos na região é necessário que o equino tenha feito os exames negativos de Mormo e Anemia Infecciosa Equina (AIE), que possuem validade de seis meses, e também a vacina preventiva da Influenza Equina, que é válida por um ano. Segundo Almeida, o custo dos exames em si variam em torno de R$70, mas o valor final pode chegar a R$200 por animal devido ao que é preciso gastar com veterinários e, especialmente, com o frete de envio das coletas aos laboratórios de análise que, aqui no Rio Grande do Sul, atualmente só podem ser encontrados em Porto Alegre e Passo Fundo.
Daniela Klafke é veterinária e realiza exames de Mormo e AIE desde 2006. Segundo ela, o frete é um grande problema porque cada laboratório trabalha de uma forma diferente no recebimento do material genético. Por vezes, inclusive, dependendo da quantidade de exames a serem realizados e o peso das amostras, vale mais a pena enviá-las para análise em São Paulo, onde o valor cobrado é menor. Explicar para o criador como os custos dos transportes variam é o que torna o serviço uma dor de cabeça muito maior do que o necessário.
Perguntado sobre a possibilidade de o Hospital Veterinário oferecer o serviço de análise do material genético dos equinos, o coordenador do curso de veterinária da Unisc, Andreas Kohler, diz que a universidade solicitou ao Ministério da Agricultura um relatório que define as exigências e custos necessários para a adaptação. “Se os custos forem baixos e o prazo necessário para nos dar a autorização para esse tipo de análise seja curto, então pode ser que no segundo semestre do próximo ano isso funcione, mas atualmente não tenho como confirmar ou dizer se vamos ter as condições necessárias”, diz. Segundo ele, o fato de as análises lidarem com doenças contagiosas tende a exigir equipamentos e cuidados específicos que encarecem o processo.
Almeida diz que seguirá trabalhando para tentar reduzir os custos que envolvem a criação de cavalos crioulos ou a simples adesão ao tradicionalismo campeiro e, para isto, também esteve em reunião na manhã desta segunda, dia 7, com a Secretaria de Agricultura do município, para pedir subsídios nos custos que envolvam a contratação de veterinários para coletar as amostras de sangue dos exames. “Podendo fazer os exames aqui e com o auxílio da prefeitura, os custos totais diminuiriam no mínimo em 50%”, afirma.