Início Coronavírus Ocupação de leitos em Santa Cruz é a menor desde o início...

Ocupação de leitos em Santa Cruz é a menor desde o início da pandemia

Pico de infecções e pessoas hospitalizadas foi em março do ano passado, quando todo o Rio Grande do Sul esteve em bandeira preta

LUÍSA ZIEMANN
[email protected]

Município, que já chegou a contabilizar quase 500 internações por coronavírus, hoje tem apenas dois hospitalizados (DIVULGAÇÃO/RJ)

Um vírus novo, com rápida proliferação e um contágio sem precedentes. Distanciamento social. Hospitais sobrecarregados. Falta de vacinas. Mais de 6 milhões de vidas perdidas ao redor do mundo. O cenário caótico causado pelo covid-19 poderia ser enredo de um filme. Mas é real. Os danos causados pelo vírus seguem sendo percebidos em nosso dia a dia, porém sua intensidade agora é bem menor. Em Santa Cruz do Sul, que chegou a ter quase 500 pacientes internados com coronavírus, conforme dados da assessoria de imprensa da Prefeitura divulgados ontem às 15h30, atualmente apenas duas pessoas ocupam os leitos dos hospitais em função do SARS-CoV-2.
Mais de dois anos após o início da pandemia mundial, hoje o mundo volta, a passos lentos, a ter uma vida normal. O novo normal, como se adaptou a chamar a nova realidade que surgiu devido à covid-19. Desde aquele 11 de março de 2020, data em que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a pandemia, muita coisa mudou. Com o aumento de infectados e, sobretudo, com o nível assustador de óbitos em pouquíssimo tempo, o mundo todo entrou em alerta vermelho e teve que se adaptar às restrições e aos novos hábitos impostos pela doença. Porém, atualmente o cenário é promissor.
Hoje, o novo coronavírus não é mais a doença que mais mata no Brasil. Também já podemos frequentar lugares abertos – e até mesmo alguns ambientes fechados – sem usar a máscara. E, além disso, vivemos um momento de declínio no número de infectados e há queda expressiva na ocupação de leitos nos hospitais. De acordo com os dados do último boletim epidemiológico divulgado pela Prefeitura de Santa Cruz, o município totalizava, até ontem, 36.081 casos confirmados da doença. Destes, 35.514 foram curados e 378 infectados vieram a óbito. A taxa de ocupação dos leitos nos hospitais do município também caiu drasticamente, em um comparativo com o mesmo período do ano passado.
Conforme a secretária de Saúde de Santa Cruz, Daniela Dumke, o pico de internações por covid-19 no município ocorreu em março de 2021 – quando todo o Rio Grande do Sul estava em bandeira preta, o grau mais rígido de restrições dentro do modelo de distanciamento social estabelecido pelo governo estadual. Naquele período, conforme dados do Estado, o número de internados em leitos clínicos aumentou expressivamente, ultrapassando 360% em relação ao mês de fevereiro de 2021. Santa Cruz seguiu o mesmo ritmo e quase triplicou o número de internados com coronavírus. No mês de fevereiro do ano passado cerca de 150 pessoas tiveram que ser hospitalizadas no município devido à doença. No mês seguinte, esse número chegou à assustadora marca de 490 internações. Hoje, apenas duas pessoas estão internadas em Santa Cruz. O número é o mais baixo desde a confirmação do primeiro caso no município, em abril de 2020.
Essa diminuição na ocupação dos leitos é motivo de comemoração para a chefe da pasta. “É uma conquista importante para a saúde. Depois de muito trabalho e comprometimento, dando conta de todos os serviços e batalhando para o avanço da vacinação, hoje vemos a estabilidade de casos”, destaca Daniela. Em todo o Brasil, o coronavírus já atingiu mais de 30 milhões de habitantes. Destes, mais de 660 mil não resistiram às complicações da doença e acabaram morrendo. O número de casos globais é ainda mais assustador: mais de 491 milhões de infectados e 6 milhões de mortos.